RegTech: aplicação de tecnologia no cumprimento das obrigações

O que são as RegTech e o que vai mudar nos processos de cumprimento de regulamentação e de conformidade? A opinião de Anna Muzalska, responsável do departamento de soluções financeiras na Quidgest.

Anna Muzalska, departamento de soluções financeiras na Quidgest

As Fintechs revolucionaram a abordagem aos serviços financeiros, agora, as RegTech chegaram para alterar o processo de cumprimento da regulamentação e para modificar o próprio conceito de conformidade.

RegTech é uma nova buzzword no mundo financeiro e o conceito surge da conexão de duas palavras – regulação e tecnologia. Simplificando, trata-se da aplicação de tecnologia no cumprimento das obrigações relacionadas com a legislação em vigor.

As RegTechs trazem uma alteração disruptiva ao cumprimento regulatório, fornecendo soluções avançadas correspondentes às necessidades de conformidade no sector financeiro.

A regulamentação na Europa é, cada vez, mais exigente e, a cada ano, assistimos a alterações significativas ao nível de regulamentação e obrigação de reporting. A introdução dos reportes COREP/FINREP – baseado no Basileia III – Fatca/CRS, Anacredit, AML, PSD2 (Open Banking), MIFID II, IFRS 9 e GDPR, entre outros, obrigou as instituições a reverem os seus procedimentos atuais e a implementarem novas abordagens relativamente à análise e reporte ou divulgação da informação.

As RegTechs trazem uma alteração disruptiva ao cumprimento regulatório, fornecendo soluções avançadas correspondentes às necessidades de conformidade no sector financeiro.

Estas alterações legislativas resultaram no aumento significativo dos custos de conformidade para as instituições e, apesar de a conformidade não ser o condutor de negócio das instituições, a sua importância é muito significativa. O risco de perda de credibilidade pelo não cumprimento das obrigações legais pode pôr em causa a existência da própria instituição.

No buzz da transformação digital, a primeira abordagem incidiu sobre as aplicações front-office, directamente ligadas aos canais de venda, no entanto, foi importante não limitar o processo a estas aplicações. Os serviços de back-office, incluindo a própria conformidade, têm de acompanhar a transformação digital sendo impossível cumprir, com qualidade, os requisitos da regulamentação, sujeitos a uma evolução constante, sem as ferramentas adequadas de alta tecnologia. Adicionalmente, é essencial ter em conta que, apesar de a regulamentação ser uniforme por tipo de instituição, existem especificidades e características particulares que devem ser salvaguardadas e tomadas em conta no processo de conformidade.

Importância das soluções

As soluções têm de automatizar o processo e cumprir as obrigações legais, no entanto, devem ser flexíveis para permitir englobar e encaixar, de forma adequada, todas as exigências de conformidade.

Outro desafio que se coloca é o da reutilização de informação necessária para conformidade, tendo em conta fins operacionais. Uma vez que já é obrigatório efetuar análises torna-se possível utilizar a informação recolhida para tomar decisões relacionadas com “drivers” de lucro. As soluções AML/KYC sendo repositórios de dados e utilizando os algoritmos avançados de análise de dados, como por exemplo aprendizagem automática, são ferramentas de análise de comportamento dos clientes que podem ser utilizadas nas decisões sobre o lançamento de novos produtos ou em marketing.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado