Portugal Ventures vende participação na ShiftForward

A startup de analítica para marketing passa a fazer parte da Velocidi, empresa norte-americana de marketing digital, sedeada em Nova Iorque.

Paulo Cunha, ex-CEO da ShiftForward e director de produto da Velocidi

Portugal Ventures vendeu “com sucesso” a sua participação na startup ShifForward, à Velocidi empresa dos EUA, avança um comunicado da capital de risco pública. Paulo Cunha, ex-CEO da PME portuense assumiu o cargo de director de produto da norte-americana.

“Ao integrarmos a equipa da Velocidi vamos não só ser capazes de enriquecer os nossos produtos e serviços, de modo a torná-la na primeira plataforma de dados no mercado que agrega dados de consumidores e de publicidade digital”, acredita.

Mas segundo o responsável a empresa norte-americana vai manter uma estrutura de recursos humanos no Porto. A ShiftForward desenvolveu uma plataforma de gestão de dados que permite aos profissionais de marketing reunir, analisar e “activar os dados” dos consumidores em
públicos-alvo e usá-los de forma segura para campanhas publicitárias, explica um comunicado.

O sistema, o ShiftForward Private DMP, impulsionou o crescimento da startup e levou ao interesse da empresa de marketing digital baseada em Nova Iorque. Ao todo esta angariou 12 milhões capital de risco. A Portugal Ventures entrou na estrutura de capital social da startup durante 2014, através de uma ronda de co-investimento com dois business angels.

David Dunne, fundador e CEO da Velocidi, afirma que “os ‘timings’ desta fusão não podiam ser melhores”.

“Atendendo ao estágio de maturidade da empresa, este ‘exit’ acontece de forma natural para todos os acionistas fundadores e investidores da ShiftForward, confirmando o sucesso da decisão de investimento e do ‘roadmap’ que permitiu a validação das soluções tecnológica em mercados internacionais”, observa Celso Guedes de Carvalho, CEO da Portugal Ventures.

David Dunne, fundador e CEO da Velocidi, afirma que “os ‘timings’ desta fusão não podiam ser melhores”. Na sua visão os gestores de negócio e os “marketeers” têm acesso a volumes de dados sem precedentes. E com a Shiftforward a empresa conseguirá fornecer tecnologia “para que sejam tomadas as melhores decisões de marketing”.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado