OneDrive e Outlook.com vão incluir protecção para ransomware

A Microsoft anunciou o reforço da protecção de alguns dos seus produtos na cloud. A protecção no OneDrive está disponível de imediato enquanto que o Outlook.com irá integrar o requisito nas próximas semanas.

Quando um PC está infectado com ransomware, este irá espalhar-se de ficheiro em ficheiro, cifrando-os até que se pague aos “maus” para que disponibilizem a chave digital de desbloqueio. Mas, o ransomware também pode espalhar-se pelos ficheiros armazenados na cloud. E é esta situação que a Microsoft pretende evitar através de novas protecções criadas para o OneDrive.

Quinta-feira a Microsoft anunciou a possibilidade de recuperar, em caso de ataque, as versões e os ficheiros armazenados até há um mês, para ajudar os utilizadores a retomar o ponto em que os ficheiros começaram a ser infectados pelo malware.

A empresa diz ainda que vai utilizar os seus sistemas de detecção automática de ameaças para descobrir quando é que o ransomware começou a afectar esses ficheiros, alertando os utilizadores por via telefónica caso os ficheiros armazenados tenham sido infectados.

A Microsoft anunciou protecção adicional para ficheiros partilhados e de leitura armazenados no OneDrive ou enviados por correio electrónico através do Outlook.com, a versão web do Outlook, incluindo mensagens cifradas.

A Microsoft anunciou protecção adicional para ficheiros partilhados e de leitura armazenados no OneDrive ou enviados por correio electrónico através do Outlook.com, a versão web do Outlook, incluindo mensagens cifradas.

No entanto, é necessário subscrever o Office 365, o serviço de subscrição da Microsoft que também inclui o acesso a aplicações como o Power Point, o Excel ou o Word. As protecções para o Outlook integrado no Ofiice 365 ainda não estão disponíveis.

“Com o incremento da presença e da sofisticação de ameaças online como vírus, ransomware e esquemas de phising, é cada vez mais importante ter a protecção adequada e as ferramentas para ajudar a proteger e evitar que os seus dispositivos, informação pessoal e ficheiros sejam comprometidos”, disse Kirk Koenigsbauer, vice-presidente de Office num blogue.

Apesar de a navegação inteligente e outras boas práticas de comportamento na Internet serem a primeira linha de defesa contra o malware, incluindo ransomware, as ameaças existem e podem afectar qualquer um. E se um ransomware afectar o seu PC pode tentar afectar outros na sua rede, incluindo ligações persistentes ao armazenamento na cloud.

Apagar todos os ficheiros e formatar o PC poderia ser uma solução apelativa, caso não significasse perder todos os ficheiros. A Microsoft está a apelar à utilização do OneDrive como uma solução e sugere que se carreguem todos os ficheiros críticos desde já, antes que o seu PC seja infectado. Mesmo que o OneDrive seja infectado, os utilizadores serão capazes de aceder a versões mais antigas e não infectadas.

Protecções na Cloud reforçadas

A novidade é que a Microsoft adaptou a funcionalidade de recuperação de ficheiros – anteriormente apenas disponível para a versão Bussiness do Onedrive – para os utilizadores domésticos com subscrições do Office 365. A Microsoft vai, não apenas detectar os ataques, mas vai também notificar os utilizadores através dos canais que utiliza normalmente para enviar mensagens aos utilizadores: correio electrónico, notificações “pop up” entre outras.

Depois, o utilizador poderá aceder ao OneDrive e escolher uma versão da véspera. Será possível escolher o dia anterior ao envio do alerta pela Microsoft.

A Microsoft também reforçou a segurança no Outlook. Agora é possível proteger com palavras-chave determinadas ligações para ficheiros ou pastas. Isso é útil, porque até agora não havia forma alguma de proteger os links ou ficheiros evitando a sua partilha com qualquer um. Tanto a detecção ransomware como a protecção de links estão disponíveis desde quinta-feira, anunciou a Microsoft.

As ligações partilhadas protegidas por palavra chave, a cifragem de mensagens de correio e a prevenção de encaminhamento serão disponibilizados nas próximas semanas, disse a Microsoft.

Se o utilizador estiver preocupado com a possibilidade de partilha de links, a Microsoft começou também a dar resposta a essa questão. No Outlook.com, é agora possível cifrar um ficheiro ou evitar que seja encaminhado ou ambas as opções.

As ligações partilhadas protegidas por palavra chave, a cifragem de mensagens de correio e a prevenção de encaminhamento serão disponibilizados nas próximas semanas, disse a Microsoft.

A Microsoft acrescentou que, mais tarde durante o corrente ano, irá verificar automaticamente os links no Word, Excel ou PowerPoint. Se os links forem de um site suspeito, os utilizadores serão alertados. Actualmente, o Outlook.com já espreita os seus links por potencial malware.

Com Mark Hachman 




Deixe um comentário

O seu email não será publicado