Microsoft tenta exclusividade do Edge para abrir links na Mail

A reacção de um grupo de clientes mais avançados na adopção das novidades do Windows 10 foi bastante desfavorável.

A actual versão da actualização do Windows 10 prevista para o Outono obriga os utilizadores a abrirem links colocados em e-mails com o Edge. E a reacção de alguns clientes foi de muita insatisfação.

A Windows 10 Build 17623 faz parte do programa “Skip Ahead” de adopção avançada de novas funcionalidades do sistema operativo que deverá estrear na actualização “Redstone 5” no Outono. Com aquele pacote de novidades a Microsoft começará a testar uma mudança que fará do Edge o browser definido por omissão para accionar links enviados por e-mail, revelou a empresa na última sexta-feira.

A decisão não é definitiva e a Microsoft nem sequer lançou ainda a versão actual “Redstone 4”, informalmente conhecida como Spring Creators Update. E dado que o programa “Skip Ahead” é fechado, a grande maioria dos utilizadores do Windows não será afectada durante meses.

Mas segundo as novas regras, não interessa que browser está seleccionado por omissão, excepto no Outlook. O certo é que qualquer alteração na ordem das coisas provoca insatisfação de um segmento da comunidade do Windows 10, que pretende manter os seus PC inalterados sob o seu controlo.

A Microsoft já tentou iniciativa semelhante, determinando que o Edge e Bing seriam as aplicações destinadas a abrir os links de pesquisa do Cortana. Mas tendo o Edge, 4% de quota de mercado, é justo dizer que os clientes já se pronunciaram e contra aquele browser.

Infelizmente, este problema provavelmente ofuscou adições mais significativas no Insider Build 17623:

‒ suporte para imagens em High Efficiency Image File Format (HEIF), um novo formato com melhorias na qualidade e compressão, face ao JPEG, GIF e PNG.

‒ melhorias no Windows Defender Application Guard: essencialmente, é uma zona de experimentação prévia de aplicações, que protege o seu PC contra os riscos da da Internet. É especialmente útil para empresas.

Agora, oferece a possibilidade de fazer downloads para hospedar no PC, mas armazena-o numa pasta chamada “Ficheiros não confiáveis” como um lembrete de que realmente não deve usá-los num ambiente de segurança.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado