Funcionalidades do Galaxy S9 e S9+ para as empresas

Os novos topo de gama da empresa sul-coreana incluem várias melhorias para os utilizadores empresariais. Os dispositivos estão disponíveis a partir desta sexta-feira em Portugal.

O Samsung Galaxy S9+ é um smartphone que merece estar no topo da oferta da empresa e vem equipado com um reforço no desempenho e novas funcionalidades para os utilizadores finais.

Ao pegar no equipamento, torna-se claro que a Samsung não mexeu muito na fórmula de sucesso dos antecessores. O telefone continua a ter componentes de vidro à frente e atrás, o ecrã é curvo nas extremidades laterais e ocupa a maior parte da parte da frente do dispositivo.

De facto, pode ter-se alguma dificuldade em diferenciar estes modelos dos anteriores, mas há algumas diferenças assinaláveis na parte de trás. A Samsung incluiu câmaras dual (que foi buscar ao Note 8) e depois de muitas queixas na Internet, moveu o sensor de impressão digital do lado da câmara para baixo da câmara.

O S9 tem um ecrã de 5,8 polegadas, uma câmara traseira de 12 megapíxeis e uma câmara frontal de 8 megapíxeis. Já o S9+ tem um ecrã de 6.2 polegadas, uma câmara dual atrás de 12 megapíxeis e uma câmara à frente de 8 megapíxeis.

O S9 tem um ecrã de 5,8 polegadas, uma câmara traseira de 12 megapíxeis e uma câmara frontal de 8 megapíxeis. Já o S9+ tem um ecrã de 6.2 polegadas, uma câmara dual atrás de 12 megapíxeis e uma câmara à frente de 8 megapíxeis.

O desempenho melhorou graças ao processador Snapdragon 845 da Qualcomm. Os testes informais do correspondente sénior da IDG, Martyn Williams, permitiram-lhe assinalar que o dispositivo era consideravelmente mais rápido do que o seu Note 8, embora, se sinta sempre, num telefone novo, mais rapidez do que equipamento já antigo e cheio de aplicações. O autor cita também benchmarks, como por exemplo o da Geekbenck 4, que atestam o aumento do desempenho.

Algumas das maiores melhorias estão relacionadas com a câmara, que se baseia num novo processador de imagem que tem a sua própria memória para poder armazenar mais rapidamente as imagens capturadas ficando pronto para tirar novas fotos. Isto significa que, por exemplo, se pode tirar conjunto de fotos (burst) rapidamente, a 960 “frames” por segundo. Quando visto a 60 imagens por segundo consegue-se o efeito super-câmara-lenta.

Os dispositivos têm também “emoji” de realidade aumentada. Gráficos animados personalizados da Samsung, divertidos e um dos destaques da Samsung na promoção destes modelos. Depois de gravar o seu “emoji” de realidade aumentada aparecem uma série de GIF animados na galeria que podem ser utilizados nas aplicações de mensagens instantâneas.

Em modo automático, sensores são utilizados para capturar até 12 versões da mesma imagem. O telemóvel escolhe depois as melhores partes de cada imagem, combina-as e cria uma nova imagem. As fotografias tiradas com o dispositivo são brilhantes, bem definidas e com bom aspecto, como seria de esperar. Não há queixas a apontar em relação à câmara, diz o colaborador.

Para utilizadores empresariais, o telemóvel traz uma série de melhorias ao nível da produtividade que tornam o dispositivo mais útil. Nova é também a capacidade de fixar pares de aplicações no “desktop” para que possam ser abertas em conjunto. A Samsung já permitia o “multitasking” em telemóveis anteriores, permitindo a abertura de aplicação lado a lado. Mas agora combina-as para que possam ser abertas com um único movimento.

Existe ainda um novo modo de acesso chamado “inteligente Scan” que combina os reconhecimentos da Iris e facial. Em testes, “descobri que tona a abertura do telefone rápida, mas a Samsung diz que não é tão seguro como a identificação pela iris isoladamente”. Os utilizadores também podem definir uma impressão digital para aceder a uma determinada pasta que poderá ser diferente daquela utilizada para desbloquear o telemóvel.

O assistente digital Bixby foi também actualizado e é agora possível fazer traduções ao vivo com a câmara. 

A edição empresarial (Enterprise Edition), que está disponível através Samsung e do canal de parceiros, vem também com o “Knox Configure” que permite a configuração remota dos dispositivos com um controlo granular de muitas das configurações. Os clientes empresariais também podem enviar novo firmware para os telefones conforme precisam em vez de o fazer através de um operador.

O assistente digital Bixby foi também actualizado e é agora possível fazer traduções ao vivo com a câmara. Quando se aponta para o texto numa língua estrangeira, a câmara procura reconhecer e traduzir o texto. A mesma funcionalidade está já disponível na aplicação de tradução da Google.

Aquele que poderá ser a maior melhoria para os utilizadores empresariais é uma que ainda não está disponível: uma nova versão da dock DeX, a chamada DeX Pad. Como este novo acessório, o smartphone fica pousado com o ecrã para cima, em vez de ficar em pé como no suporte orginal. Deste modo é possível usar o smartphone como “trackpad”, dispensando a necessidade de um rato. A Samsung adiantou ainda que está para chegar um teclado no ecrã, embora pareça que tal seja um pouco complicado de utilizar. O objectivo da Samsung com esta dock é convencer os utilizadores de que não precisam necessariamente de levar computadores para as reuniões ou viagens de trabalho, uma vez que a Dex pode simular a interface com um computador.

Samsung apresenta funcionalidades em centros comerciais 

Para divulgar estas e outras funcionalidades a Samsung inaugurou esta sexta-feira, no centro comercial Colombo, em Lisboa, o Samsung Galaxy S9 Studio. A marca estará no centro comercial da capital até dia 27. A partir de dia 30 de Março, o espaço irá estar disponível no NorteShopping.

Nuno Parreira, diretor de telecomunicações da Samsung Portugal, explica que o objectivo principal é “investir em experiências de valor para conseguir dar uma visão mais elaborada e presente daquilo que são as novidades trazidas pelos novos Samsung Galaxy S9 e S9+”.

O modelo S9 custa 870 euros e o S9+ 970 euros.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado