Google promete AI para o novo Hangouts Chat

A multinacional revelou que pretende usar a tecnologia para os recursos do Calendar e do Docs e integrar tudo firmemente com a G Suite.

A Google lançou oficialmente esta semana a sua aplicação Hangouts Chat, vincando a sua posição num segmento em expansão, o da colaboração baseada em plataformas de conversação. A sua nova proposta funciona de forma semelhante a outras ferramentas de conversação em grupo, como a Slack.

No geral propõem reduzir a dependência dos trabalhadores face ao e-mail, para comunicarem e partilharem informações. Os recursos incluem o encadeamento automático de conversas, que são pesquisáveis ​​e uma série de elementos de integração para e “chatbots”.

A Google ofereceu uma primeira “espreitadela” sobre o a Hangouts Chat há quase um ano. Nessa altura anunciou planos para separar a seu aplicação original, Hangouts, em dois produtos, para subscritores da G Suite.

Paralelamente a uma ferramenta de videoconferência, o Hangouts Meet, disponibilizada aos utilizadores imediatamente após o anúncio, surgiria uma aplicação de conversação por texto, acessível apenas através de de um programa de adopção precoce. Com o lançamento completo do Hangouts Chat, o Google adiciona uma variedade de opções de mensagens de grupo para empresas, que já apareceram nos últimos dois anos – na Microsoft Teams, no Workplace da Facebook, na Cisco Spark e na oferta de uma variedade de startups.

Nenhum fornecedor, no entanto, domina realmente o mercado. Enquanto a Google possa ser um interveniente mais atrasado no segmento, isso não implica necessariamente em desvantagem. “Não é tarde, ainda há novidade, enquanto os fornecedores procuram direccionar a oferta para casos específicos de utilização”, considera David Mario Smith, fundador e director da InFlow Analysis.

“Cada fornecedor neste espaço tem os seus prós e contras – o que é mais importante é a estratégia de introdução da oferta no mercado e a sua capacidade de retenção do cliente”, diz Alan Lepofsky (Constellation Research).

Mas o mesmo também diz que o segmento se “tornou lotado, pois todas as ofertas são bastante semelhantes”. Cada sala de conversação da Hangout pode suportar até oito mil utilizadores e estão disponíveis por meio de browser e dispositivos móveis, com suporte para iOS e Android.

Existem recursos de conformidade incorporados para atender a exigências de retenção de dados, acesso aos mesmos e requisitos regulatórios para grandes empresas, graças ao Google Vault. Scott Johnston, director de gestão de produtos da Google, afirma num blog da Google que a aplicação de inteligência artificial ajudará a automatizar tarefas no Hangouts Chat, como “reservar quartos, procurar ficheiros e muito mais”.

Para as empresas, é importante comparar as várias plataformas, recomenda Alan Lepofsky, vice-presidente e analista da Constellation Research. “Cada fornecedor neste espaço tem os seus prós e contras – o que é mais importante é a estratégia de introdução da oferta no mercado e a sua capacidade de retenção do cliente”, diz.

Ou seja, serão especialmente relevantes elementos capazes de convencer e mantenham as pessoas a usar a ferramenta. Tal como acontece com a Microsoft Teams e o Office 365, o Chat do Google está bem integrado com o portefólio da G Suite, o qual inclui a Drive, Calendar, Sheets e Slides.

Também é possível saltar rapidamente da conversa de vídeo do Chat para o Hangouts Meet.

Desafio para a Google é sobretudo cultural

Assim como a Teams é a opção natural para os utilizadores o Office, “o Hangouts deverá atrair os clientes existentes da G-Suite”, disse Lepofsky.

Para este analista o desafio para a Google aumentar os níveis de adopção será mais cultural do que técnico. Tal com acontece com a Google+ “não são os recursos que impulsionarão a adopção, mas sim uma base de clientes grande e leal, a qual poderá então levar a utilização da plataforma aos parceiros externos [das empresas]”, disse Lepofsky.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado