Novabase cresce aquém dos seus objectivos

A empresa aumentou 3% o seu volume de negócios para 139,7 milhões, abaixo da facturação almejada, para 2017. Mas 70% do negócio foi realizado na Europa.

Luís Paulo Salvado, CEO da Novabase

A Novabase falhou o seu objectivo de recuperar para um patamar de volume de negócios acima dos 140 milhões de euros, em 2017. Mesmo assim cresceu 3%, para 139,7 milhões, 54% dos quais registados nas operações internacionais.

Neste último âmbito, o CEO da empresa, Luís Paulo Salvado, destaca como positivo o aumento para 70%, da representatividade do negócio realizado na Europa. Mas a empresa também não atingiu o objectivo de que mais de 60% da sua facturação seja realizada nos mercados internacionais.

Segundo a empresa, o facto deve-se ao crescimento do negócio em Portugal.

“Em 2018 prosseguiremos as transformações ao nosso negócio, quer do ponto de vista de diversificação geográfica do risco, quer em relação aos investimentos nas ofertas. No curto prazo esta decisão limita-nos o crescimento e a rentabilidade, mas, acreditamos, potenciará o acesso futuro a negócios de maior qualidade e sustentabilidade”, avança João Paulo Salvado.

O número previsto para o volume de negócios é de 140 milhões, com EBITDA de 8 milhões.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado