Beta-i muda estrutura de capital social

Além de absorver a operação da Couture, de Diogo Teixeira e Alisson Ávila, recebe Assunção Loureiro e André Rabanea como sócios.

Ricardo Marvão, Pedro Rocha Vieira (CEO), Diogo Teixeira (ao comprido), Manuel Tânger, Tiago Pinto, Alisson Ávila, Assunção Loureiro e André Rabanéa.

A Beta-i e a Couture anunciaram a fusão das duas empresas, com a qual querem ter actividade em mais mais áreas de actuação integrada numa só operação. A primeira subsiste com a sua marca, mas assume nova estrutura de capital social, resultado também da entrada de Assunção Loureiro e André Rabanea.

A executiva é a ex-directora-geral da Fox Networks Group Portugal e o segundo, é fundador da Torke.

Pedro Rocha Vieira continua a ser CEO mas a empresa passa a ter Assunção Loureiro com o Chief Operations Officer.  A entidade empresarial passa a constituir uma estrutura de cerca de 50 trabalhadores.

O capital social tem ainda como participantes: Ricardo Marvão, Manuel Tânger, Tiago Pinto, Diogo Teixeira, Alisson Ávila e André Rabanéa.

A Beta-i passa a ter seis áreas de actuação principais: aceleração, eventos, consultoria, inovação aberta, formação e investimento.

A Couture é uma consultora inovação liderada por Diogo Teixeira e Alisson Ávila e, com a fusão, a Beta-i passa a ter seis áreas de actuação principais: aceleração, eventos, consultoria, inovação aberta, formação e investimento. A primeira empresa tem desde 2009 procurado ser pioneira, ajudando muitas das principais marcas portuguesas e multinacionais em estratégias de crescimento com base em inovação, co-criação colaboração e defendendo um foco num entendimento profundo do cliente, diz um comunicado.

“Vamos assumir como nosso o conceito ‘Building the Innovation Ecosystem’. A nossa ambição passa por sermos um dos principais actores na liderança desta transformação que atravessa a economia e os negócios, contribuindo para construção de uma verdadeira cultura de inovação. Esta visão implica alimentar diversos ecossistemas de inovação, junto de diferentes clientes e em diferentes regiões, numa perspectiva cada vez mais global”, explica Pedro Rocha Vieira, CEO da Beta-i.

Diogo Teixeira explica que na fusão “entre duas organizações complementares, e que já trabalhavam em conjunto”, ambas procuram obter sinergias operacionais, alargar a oferta.

 




Deixe um comentário

O seu email não será publicado