BI e BA em self-service levará a mais analítica que cientistas de dados

CIO consideram sistemas de Busisess Analitycs (BA) e Business Intelligence (BI) como as principais tecnologias diferenciadora para as suas empresas.

Que à escala global as organizações estão a adoptar aplicações de Business Analytics e Business Intelligence, de modo a levar as capacidades a funcionários de quase todos níveis, não é novidade. Mas a tendência é tão pronunciada, que a Gartner prevê que até 2019, a quantidade de resultados produzida pelos mesmos, em auto-serviço, vai superar a dos cientistas de dados.

Carlie J. Idoine, directora de pesquisa da consultora dis que “os avanços rápidos em inteligência artificial, na IoT e e analítica em SaaS e nas plataformas de BI tornam mais fácil e económico do que nunca, para os responsáveis não especializados a realização de análises eficazes e melhor sustentar as suas decisões”.

Um recente inquérito mais de três mil CIO mostra que os CIO classificam os referidos sistemas como a principal tecnologia diferenciadora para suas organizações. Atrai o os investimentos mais recentes e também é considerada a área de tecnologia mais estratégica por CIOs de alto desempenho.

Com cada vez mais recursos de “self-service” para suportar uma cultura baseada em dados os utilizadores podem aprender mais facilmente a usar e beneficiar de ferramentas eficazes de analítica e BI.

Mas o processo não é linear. Se os líderes de gestão de dados e analítica fornecerem acesso apenas a dados e ferramentas, as iniciativas de auto-serviço muitas vezes não funcionam bem. “Isso ocorre porque a experiência e as competências dos utilizadores variam bastante dentro das organizações”.

Quando populares e em grandes organizações, as iniciativas podem crescer  muito rapidamente e abranger centenas ou milhares de utilizadores, havendo o risco de se cair num situação de caos.

Assim, Idoine destaca a importância de haver processos de formação, suporte e acolhimento para a maioria dos utilizadores produzirem resultados significativos. Além a Gartner, assinala que a dimensão da tarefa de implementar analítica em autoserviço pode surpreender a organizações de surpresa, por ser grande.

Ironicamente isso acontece sobretudo quando as iniciativas têm sucesso. Em grandes organizações, podem expandir-se muito rapidamente e abranger centenas ou milhares de utilizadores.

Para evitar uma situação de caos, a Gartner diz ser crucial identificar as mudanças organizacionais e processuais adequadas antes de iniciar a iniciativa.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado