“Terceira plataforma” deverá representar 4,1 mil milhões de euros em Portugal

O investimento em tecnologias de cloud, redes sociais, mobilidade e Big Data, deverá ajudar o mercado português de TI a crescer 2,6% para os 7,7 mil milhões, prevê a IDC.

Gabriel Coimbra, director-geral da IDC Portugal

O mercado português de TI manterá em 2018 uma evolução geral bipartida, com os segmentos da “terceira plataforma” a crescerem em média, 12,4%, segundo as previsões da IDC Portugal. Em sentido contrário a actividade noutras áreas de TI, mais tradicionais, deverá regredir na ordem dos 6,9% em 2018.

O efeito conjugado levará a um crescimento de 2,6%, no volume de negócios total para 7,7 mil milhões de euros, com 54% referentes à referida plataforma, composta por tecnologias de cloud computing, redes sociais, mobilidade e Big Data.
“Estamos a assistir ao consolidar do primeiro capítulo da terceira plataforma tecnológica e a entrar no que consideramos ser o seu segundo capítulo, caracterizado pela consolidação da oferta cloud em megaplataformas, pelo rápido crescimento da IoT e da inteligência artificial, pela disrupção causada pelos negócios de plataforma (dentro e fora da industria das TIC), onde os dados constituem o principal ativo numa economia cada vez mais digital e a experiência dos consumidores, independentemente dos setores, é cada vez mais tecnológica, integrada
e imersiva”, comenta Gabriel Coimbra, director-geral da IDC Portugal.

A consultora apresentou esta terça-feira as dez principais tendências ou factores que deverão influenciar o sector das TIC em Portugal, durante 2018.


Tags


Deixe um comentário

O seu email não será publicado