Closer prossegue internacionalização na Suécia

Carência de recursos humanos nas áreas de analítica avançada inteligência artificial no espaço económico justificam o investimento.

Fernando Matos,Woitek Szymankiewicz e JoaoCruz, co-fundadores da Closer

A Closer abriu um novo escritório, desta vez na Suécia, como parte da sua estratégia de internacionalização, a qual representa já 46% da sua facturação. A aposta funda-se em oportunidades detectadas pela Closer no Norte da Europa, relacionadas com
carência de competências e recursos humanos nas áreas de analítica avançada e inteligência artificial.

A empresa quer fazer valer mais de 10 anos de experiência, naquelas áreas e tem nos seus planos uma abordagem a vários sectores: automóvel, bancário, segurador e de telecomunicações. Apesar da exiguidade de recursos, Fernando Matos, co-fundador e parceiro da Closer, diz que a estratégia da empresa vai passar tanto pela “captação de talento local, como pela exportação de inteligência humana e artificial portuguesa, sobretudo na implementação e melhoria constante dos modelos analíticos preditivos já desenvolvidos”.

Actualmente a empresa tem escritórios em Portugal, Brasil, Reino Unido, Alemanha e Macedónia.
“Temos a intenção de aumentar a faturação internacional da empresa e capitalizar sobre a inovação produzida pelos recursos altamente qualificados do nosso país, nomeadamente no desenvolvimento de modelos de Data Science para a obtenção de conhecimento sobre os clientes, seus hábitos e riscos”, refere o responsável.


Tags


Deixe um comentário

O seu email não será publicado