Coimbra desenvolve novo algoritmo de IA

Quatro investigadores da Universidade de Coimbra desenvolveram um novo algoritmo de inteligência artificial para a evolução das denominadas redes neuronais profundas.

Filipe Assunção, Penousal Machado, Bernardete Ribeiro e Nuno Lourenço

Filipe Assunção, Penousal Machado, Bernardete Ribeiro e Nuno Lourenço

Quatro investigadores do Centro de Informática e Sistemas da Universidade de Coimbra (CISUC) desenvolveram uma abordagem vanguardista para automatizar processos de aprendizagem no campo da visão computacional.

O resultado é um novo algoritmo de inteligência artificial para a evolução das denominadas redes neuronais, que imitam o comportamento do cérebro profundas.

Segundo comunicado da Universidade de Coimbra, o Deep Evolutionary Network Structured Representation (DENSER) poderá “vir a revolucionar a forma de responder ao problema de classificação do conteúdo de imagens”.

Na área da Inteligência Artificial e aprendizagem automática, a classificação de imagens é altamente complexa e enfrenta grandes desafios. Nos humanos um terço do cérebro é dedicado ao processamento visual, envolvendo centenas de milhões de neurónios.

O projecto de investigação, financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), será apresentado à comunidade científica na próxima conferência europeia na área da computação evolucionária EvoStar. A computação evolucionária inspira-se na biologia para resolver problemas de elevada complexidade.

Destaca-se das abordagens convencionais ao não exigir intervenção humana, não usar conhecimento prévio sobre o domínio e por ser uma solução de baixo custo.

Os resultados do projeto, que podem vir a ser aplicados em vários domínios do conhecimento, decorrem da experiência de mais de duas décadas do CISUC nas áreas da inteligência artificial, aprendizagem automática e computação evolucionária, e de um esforço e investimento mais recente no domínio da aprendizagem automática evolucionária.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado