Kyvo abre em Lisboa e procura profissionais com experiência

A consultora, presente Sillicon Valley, pretende contratar até quatro novos trabalhadores, durante o corrente ano, para a segunda operação internacional que lança.

Hilton Menezes, CEO da Kyvo

Hilton Menezes, CEO da Kyvo

A consultora brasileira Kyvo Design-Driven Innovation iniciou as suas actividades em Portugal, no espaço de coworking Ideia Hub, no Parque das Nações.

A partir de Portugal, a consultora pretende “participar no mercado europeu de inovação com a realização de projectos de transformação digital, inovação aberta e ‘corporate venture’ para as empresas da região”, avança em comunicado. 

O investimento na subsidiária portuguesa não foi divulgado. Segundo Hilton Menezes, CEO da empresa, “por acordo de accionistas, neste momento manteremos reserva sobre os detalhes de investimentos”.

Lisboa foi o local escolhido para a segunda operação internacional da empresa, no espaço de dois anos. A primeira operação internacional é no centro de inovação GSVlabs, em Silicon Valley, nos EUA. A Kyvo é também representante exclusiva deste centro de inovação no Brasil.

“Lisboa apresenta um dos melhores ecossistemas para a inovação da Europa. Tem profissionais de altíssima qualidade e políticas bem-sucedidas de fomento ao empreendedorismo”, diz Hilton Menezes.

As perspectivas de negócio a partir de Portugal são por isso bastante optimistas até porque já têm uma base de negócio no país. “Temos projectos com empresas de grande porte, como a VISA, a EDP (ou) a Sonae Sierra”, com as quais pretendem “expandir relações este ano”.

Globalmente, Em 2017, a facturação da empresa cresceu “300%”, assinala o responsável máximo da Kyvo. Para o primeiro ano de actividade na Europa, o CEO tem como meta “ter pelo menos cinco grandes empresas de destaque” como clientes, tendo também como objectivo chegar a médias empresas.

Kyvo está a contratar em Portugal

A empresa está a contratar em Portugal e já está a fazer entrevistas. A Kyvo posiciona-se como uma ‘consultora boutique’, o que, na prática, significa ter “poucos profissionais com grande experiência”.

As contratações estarão correlacionadas com o número de projecto e, no primeiro ano em Portugal, “pretendemos iniciar com entre três e quatro pessoas”, antecipando-se a duplicação da estrutura “após o fecho dos grandes contratos que estão previstos”, explica Hilton Menezes.

A Kyvo procura “profissionais para montar uma equipa multidisciplinar” que incluirá “antropólogos, psicólogos, designers, engenheiros da computação e economistas”.

Mauro Bastos, sócio e director-geral da Kyvo em Portugal

Para o desenvolvimento da actividade da Kyvo em Portugal, a empresa conta com um parceiro estratégico, o sócio Mauro Bastos, que “acumula experiência diversificada em multinacionais, incluindo dez anos na Microsoft”.  

Hilton Menezes considera uma grande mais-valia para o negócio: “ter um executivo do gabarito de Mauro Bastos como sócio da Kyvo Portugal é mostrar que viemos para nos consolidar na Europa, tendo Portugal como porta de entrada e principal mercado Europeu”.

“As empresas portuguesas deverão investir mais de 3,5 mil milhões de euros em transformação digital e TI nos próximos dois anos. Além de ser um mercado significativo, tem na busca por inovação um de seus principais potenciais”, afirma o responsável da subsidiária.

A Kyvo foi fundada em 2015 por executivos de tecnologia e design. A empresa disponibiliza soluções nas áreas de “transformação digital, inovação corporativa, programas de aceleração de startups e inovação em serviços”.

Em 2017, entre outros projectos, a empresa realizou os programas de inovação e aceleração de empresas, como foi o caso do Visa Track, em parceria com a Visa, e do EDP Starter Brasil em parceria com a EDP Brasil.

“Somos uma plataforma de inovação”

“Mais do que uma consultoria, somos uma plataforma de inovação capaz de criar e executar programas estruturados para grandes empresas”, explica Hilton. A Kyvo também foi escolhida pelo governo da Coreia do Sul para a divulgação, promoção e selecção de startups para o K-Startup Grand Challenge, a principal iniciativa do país para a atracção de empreendedores do mundo inteiro.

No Brasil, a Kyvo tem várias unidades de negócio em Florianópolis, Curitiba, Rio de Janeiro, Vitoria, Belém e na sede em São Paulo.

Questionado sobre quem são os concorrentes da empresa, Hilton Menezes explica que “respeita todos os concorrentes”, mas que prefere “não pensar na palavra concorrência”. Assinala que “gostamos de pensar que não temos concorrentes e sim parceiros de negócio que se complementam e colaboram em busca da entrega de maior valor aos clientes do mercado”.


Tags


Deixe um comentário

O seu email não será publicado