OutSystems cria “visual debugger” para aplicações móveis  

A empresa lançou um novo “debugger” em low code que diz permitir corrigir visualmente código em plataformas móveis.

Paulo Rosado, CEO da Outsystems

Paulo Rosado, CEO da Outsystems

A Outsystems anunciou o lançamento de um “visual debugger” em low-code, uma nova funcionalidade que permite resolver “rapidamente” problemas de código. A ferramenta pode ser executada do lado do servidor ou do dispositivo móvel, explica o fabricante.

A empresa recorda que “as plataformas de desenvolvimento low-code ajudam a inovar, permitindo que as equipas disponibilizem soluções a uma velocidade dez vezes superior que com o código tradicional”.

A tecnológica identificou uma lacuna ao nível da criação de novas experiências de mobilidade que tiram partido dos recursos dos dispositivos móveis. Estas novas experiências assentam numa “lógica de negócio complexa” e recorrem a “padrões de sincronização de dados offline”.

A nova solução da Outsystems, visa dotar os programadores de uma “experiência de debugging visual e contínua, quer o código seja executado em sistemas iPhone, Android ou do lado do servidor”, refere Gonçalo Borrêga, responsável de produto na OutSystems, “garantindo que as equipas obtêm os benefícios do low-code durante todo o ciclo de vida de desenvolvimento”.

Gonçalo Borrêga considera que “facultar às organizações uma abordagem low-code para a criação de experiências móveis mais ricas, mas esperar que elas recorram a ferramentas de programador complexas no momento de realizar o debug, é destruir por completo a finalidade de uma plataforma low-code”.

Ao facultar uma “experiência low-code consistente”, a OutSystems resolve dois grandes desafios, explica em comunicado. “Em primeiro lugar, o mesmo conjunto de capacidades low-code pode ser utilizado para criar e solucionar problemas em qualquer tipo de aplicação, facultando às equipas mais opções de recursos para os projetos. Em segundo lugar, com o low-code, os tempos de transferência de conhecimento diminuem significativamente, reduzindo o risco de iniciativas críticas de dispositivos móveis”.

A nova funcionalidade visa dar resposta ao “o atual estado de arte de debugging” das aplicações móveis sofisticadas”, porque, até agora, mesmo quando “construídas com uma plataforma de low-code, envolvem um conjunto de instalações de plug-ins e scripts complicados”, um processo que, “por norma”, está “além das capacidades de um programador comum”, assinala a empresa.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado