Kotlin 1.2 com re-utilização experimental de código

A versão de produção da linguagem foi disponibilizada para download, com suporte para a linguagem Java 9.

A versão 1.2 da linguagem Kotlin oferece um recurso experimental que permite a re-utilização de código em múltiplas plataformas, bem como a compatibilidade com o sistema de módulos da Java 9. A nova edição, da linguagem recomendada pela Google para desenvolvimento de aplicações para Android,  é fornecida com o IDE IntelliJ Idea 2017.3 da JetBrains, lançado a 30 de Novembro.

Os utilizadores do Android Studio IDE ou de uma versão mais antiga do IntelliJ podem actualizar para a nova versão a partir de “Tools> Kotlin> Configure Kotlin Plugin Updates”. A capacidade experimental da Kotlin permite que os programadores re-utilizem código entre várias plataformas de destino suportadas: JVM e JavaScript inicialmente e, posteriormente, aquelas nativas.

O código a ser partilhado entre as plataformas é colocado num módulo comum. E as peças dependentes da plataforma são colocadas em módulos específicos da mesma. Durante a compilação, o software é produzido para as partes comuns e específicas da plataforma.

Os programadores podem expressar dependências do código comum em peças específicas da plataforma através de declarações previsíveis ou existentes. As novas declarações específica uma API, enquanto as existentes é específica da plataforma da API ou uma “type-alias” que se refere a uma implementação existente da API numa biblioteca externa.

A biblioteca padrão traz o pacote “kotlin.math” para executar operações matemáticas em código desenvolvido para múltiplas plataformas. O novo conteúdo oferece melhor precisão no software de adições matemáticas a browsers para JavaScript.

Também para suportar a Java 9, a Kotlin 1.2 remove as declarações obsoletas no pacote “kotlin.reflect” da biblioteca “kotlin-reflect”

A biblioteca normalizada da Kotlin 1.2 é compatível com o novo sistema de módulos Java 9, que proíbe pacotes divididos (vários ficheiros “.jar” declarando classes no mesmo pacote). Na Kotlin 1.2, os artefactos “kotlin-stdlib-jdk7” e “kotlin-stdlib-jdk8” substituem o antigo “kotlin-stdlib-jre7” e “kotlin-stdlib-jre8”.

Também para suportar a Java 9, a Kotlin 1.2 remove as declarações obsoletas no pacote “kotlin.reflect” da biblioteca “kotlin-reflect”. Os programadores têm de passar a usar as declarações no pacote “kotlin.reflect.full”, estreado no Kotlin 1.1.

As melhorias de inferência do tipo de dados das expressões no Kotlin 1.2 incluem a possibilidade de o compilador usar informações de moldes de tipos na inferência. Se um programador “chamar” um método genérico que retorna um parâmetro de tipo, como T, e lança o valor de retorno para um tipo específico, como Foo, o compilador entende agora que T precisa estar vinculado ao tipo Foo, para essa “chamada”. É especialmente importante para os programadores de aplicações de Android, que o compilador do Kotlin analise correctamente as chamadas FindViewById no nível 26 Android API. Além disso, o compilador tem agora uma opção para tratar todos os avisos como erros.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado