Grupo Brisa renova portais colaborativos

A Auto-estradas de Portugal recorreu à Rumos para migrar de uma plataforma colaborativa Microsoft SharePoint On Premises para Office 365.

A Brisa – Auto-estradas de Portugal descreveu como correu a migração de uma plataforma colaborativa SharePoint On Premises para Office 365 da Microsoft, durante uma sessão promovida pela Rumos, em Lisboa. Fernando Araújo, da Brisa, explicou como tudo aconteceu, com o apoio de David da Silva Rosa, director da área de produtividade e colaboração da Rumos.

“A Brisa tinha a necessidade de controlar custos internos, incluindo de licenciamento, e de proporcionar aos utilizadores uma forma diferente de trabalhar”, foi assim que David da Silva Rosa, resumiu o objectivo do projecto.

A Brisa já trabalhava com a Rumos há uns anos noutros projectos, pelo que a continuidade da relação foi um passo natural. “Fomos nós que desenhamos a arquitectura do caminho até ao Office 365, a plataforma escolhida para consolidar todos os portais colaborativos do Grupo Brisa, incluindo a Via Verde”, explicou David da Silva Rosa, à margem do evento, ao Computerworld.

A Rumos tinha preparado o SharePoint 2013 para uma eventual migração para o Office 365, o que veio, entretanto, a concretizar-se. Por isso foi com naturalidade que a Brisa se dirigiu à Rumos. “Já havia uma relação de muita confiança, porque todos os projectos anteriores correram muito bem. E Brisa falou connosco para procedermos aos processos críticos de migração”, assinalou David da Silva Rosa.

Os requisitos eram exigentes: “não podia haver downtime aplicacional” e as “pessoas tinham de continuar a trabalhar”, porque o nível de serviço exigido é muito elevado. Portageiros, departamentos de qualidade ou financeiro não podiam ficar sem sistema. David da Silva Rosas assinala que tal foi possível graças à ajuda do Office 365 que tem “níveis de serviço muito elevados”.

Gestão da mudança foi considerada pelo responsável da Rumos como “um dos momentos mais críticos”, assinalou David da Silva Rosa (Rumos)

Entre os maiores desafios enfrentados esteve o levantamento de activos: dados, volumetria, tipos de conteúdo, entre outros, para “conseguirmos planear uma migração”. Esta teria de ser “faseada, quase departamento a departamento” para, em simultâneo, a Brisa “gerir a mudança”.

A gestão da mudança foi considerada pelo responsável da Rumos como “um dos momentos mais críticos”. Foi igualmente preciso planear deltas para garantir que nenhum documento era perdido da passagem de uma infra-estrutura “on premises” para o Share Point do Office 365 na cloud computing, explicou David da Silva Rosa.

A partir do momento em que se diz “o portal está migrado” é necessário passar a base de dados colocada entretanto em modo de leitura. Para mitigar algum atraso na comunicação, a rumos desenvolveu uma framework que identifica se e quais os documentos alterados desde que a base de dados começou a ser migrada.

Desta forma “podemos migrar apenas esses documentos e não a totalidade da base dados”, garantindo que a informação não sofre qualquer dessincronização. David da Silva Rosa assinala que ao nível da arquitectura da solução muito do trabalho foi antecipado.

O “planeamento da mudança, os deltas de informação e a gestão da forma de acesso foram os maiores desafios. O trabalho não ficará por aqui.

“Esta foi uma pequena ponta de um icebergue. Posteriormente migrámos o portal colaborativo da José de Mello, outra empresa do Grupo Brisa”, avançou Silva Rosa. “Estamos também a migrar a intranet corporativa do grupo” – desenvolvida à medida – para Office 365.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado