EE4J ou a substituta da Eclipse para a Java EE

A Eclipse Foundation apresenta nove propostas que abrangem a Java NIO, a REST, Web services, a JSON, esquemas de mensagens, middleware e as WebSockets.

A Fundação Eclipse, a nova gestora da evolução da Java para empresas, avançou com nove propostas de projectos no âmbito da iniciativa Eclipse Enterprise para Java (EE4J). São o que a organização descreve como os primeiros passos de migração da Java EE (Enterprise Edition) para a sua esfera de acção.

As propostas, publicadas para a comunidade de programadores rever, abrangem aspectos de Java que vão desde a JSON e a REST e esquemas de mensagens. Emergem em resposta à decisão da Oracle em Agosto de transferir a linguagem Java para uma base de ferramentas de código aberto, com a Eclipse assumir a responsabilidade sobre a iniciativa.

O processo desenvolve-se na sequência de um ano de evolução tumultuosa para a Java, com a Oracle a decidir-se por um plano de actualização da Java EE depois de ser criticada por negligência, e a seguir ter optar por deixar a gestão da Java EE este ano.

As nove propostas, apresentadas pelo director executivo da Eclipse, Mike Milinkovich:

‒ a Grizzly, estrutura projectada para ajudar os programadores a tirar proveito da API NIO, desenvolvida para facilitar o desenvolvimento de aplicações em Java para servidor e com capacidade de ganhar escala;‒ a Jersey é uma estrutura de REST. O projecto fornece uma implementação de referência da JAX-RS;
‒ a JSON Processing, disponibiliza uma API para processar documentos de JSON;
‒ a Message Service API para Java, permitirá a troca mensagens entre dispositivos cliente e fornece uma API para o Java Message Service;
‒ Mojarra, servirá como implementação de referência para a especificação JavaServer Faces (JSF) para criar interfaces de aplicações de Internet;
‒ a OpenMQ, uma plataforma de middleware orientada a sistemas de mensagens;
‒ a RESTful Web Services API para Java, com uma API e cojunto de ferramentas de teste para as Java API dirigidas a RESTful Web Services (JAX-RS);
‒ a Tyrus disponibiliza uma implementação de referência da API Java para WebSocket e permite o desenvolvimento de aplicações de WebSocket para comunicação bidireccional entre um servidor e um dispositivo anfitrião remoto;
‒ a WebSocket API para Java, servirá integrar o WebSocket nas aplicações de dispositivos cliente e servidor;

Além dessas propostas, outras duas estão em processo de migração para o projecto EE4J:

‒ a EclipseLink, fornecendo uma solução open source de persistência de Java;
‒ a Yasson, estrutura de Java que disponibiliza uma camada de ligação entre classes de Java e documentos em JSON.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado