Startup francesa vence Web Summit “por engano”

Vencedor improvável da Web Summit, tem 52 anos, veio ao Web Summit pela primeira vez e participou no concurso de pitchs, porque lhe pareceu “cool”.

Uwe Diegel, CEO da Lifeina

A Lifeina foi a vencedora do concurso de pitchs da Web Summit 2017. O pitch da startup foi escolhido tanto pelo público como pelo júri da iniciativa apoiada pela Mercedes.

Uwe Diegel, CEO da empresa francesa, recebeu um cheque de 50 mil dólares que vai investir “em investigação e desenvolvimento”, avançou em conferência de imprensa. Com mais de 50 anos de idade, acaba por ser um exemplo de que a idade de um empreendedor não  é uma característica impeditiva de sucesso. A questão era sugerida em paineis do certame como um dos factores de discriminação no empreendedorismo.

A inovação da especialista em tratamentos profilácticos, a Lifeina, é uma pequena caixa que permite o transporte de medicamentos em atmosfera controlada. É o que se pode chamar o “frigorífico mais pequeno do mundo”, o Lifeinthebox, uma solução que não só conserva o medicamento, “mas também relembra o paciente que a tem de tomar”.

Questionado sobre o porquê da participação, Uwe Diegel assinalou que veio à Web Summit pela primeira vez. “Para dizer a verdade não esperava vencer. Pensava que era giro fazer um pitch. Depois apercebi-me que era uma competição. Depois entrei no top 200, entre 1300 depois cheguei às semi-finais ontem. Esta manhã disseram-me que ia receber 50 mil dólares. Nem sabia que havia dinheiro envolvido. Gostava de dizer que o tinha feito por causa do dinheiro, mas não seria verdade”.

O CEO considera que o certame “é incrível para projectar e apresentar tecnologia”.

O empreendedor trabalha há 25 anos em hardware. Como investidor  fundou  empresas no sector da Saúde: a Microlife, a Sprangler, a iHealth. Segundo o próprio: “invisto em coisas que acontecem”, ao ponto de “me chamarem o Steve Jobs da saúde”.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado