CMU Portugal vai ter novo director na terceira fase

O anterior responsável, João Claro, terminou funções em Setembro, antes da actual visita do ministro Manuel Heitor à Universidade Carnegie Mellon, em Pittsburgh, para planear a nova etapa do programa.

João Claro, administrador no INESC Tec

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor e o presidente da FCT, Paulo Ferrão, estão nesta segunda-feira e na próxima terça-feira (17 de Outubro) em visita de trabalho na Universidade Carnegie Mellon (CMU, sigla em inglês), em Pittsburgh. A agenda decorre no sentido de “desenvolver a proposta” para a terceira fase do Programa Carnegie Mellon Portugal, que já não vai contar com o professor, João Claro, director da equipa nacional para a iniciativa.

A página de perfil do docente, no LinkedIn, revela que o docente terminou funções em Setembro. Para já, a organização do programa em Portugal não avança sequer com uma data para a apresentação do substituto.

Mas a comitiva portuguesa inclui os responsáveis pela preparação da proposta para a próxima fase do programa, professores Rodrigo Rodrigues e Nuno Nunes, diz um comunicado. O plano das entidades envolvidas no Programa CMU Portugal, avança a nota, prevê a intensificação da colaboração entre empresas e organizações portuguesas.

Assim, a comitiva inclui representantes de várias empresas, como a Thales e a Outsystems. “Desde 2006, ano da sua criação, a parceria entre a CMU, o governo português e as universidades portuguesas já criou um ecossistema criativo e fértil, a uma escala global. São exemplos as 11 startups que nasceram no âmbito do Programa, e que já deram origem a mais de 400 postos de trabalho qualificado em tecnologias de ponta no país e que atraíram investimento estrangeiro muito significativo”,  assinala o director da equipa para a parceria baseada na CMU, José Fonseca Moura.

A agenda da visita inclui reuniões com o presidente da CMU, Farnam Jahanian, directores de faculdades, directores de departamento, professores e responsáveis de centros de investigação ligados às áreas de interesse das instituições que integram a comitiva.

Prevê ainda visitas aos centros de investigação de empresas americanas situados em Pittsburgh, incluindo a Amazon, a Uber e a Disney.

*Com comunicado




Deixe um comentário

O seu email não será publicado