Dell vai investir mil milhões para a área de IoT

A Dell Technologies anunciou a orquestração de tecnologias de inteligência artificial e aprendizagem automática com infra-estruturas de IoT e anunciou o reforço do investimento no segmento.

Michael Dell, CEO Dell Technologies

“A Dell vai investir mil milhões de dólares em projectos de Investigação & Desenvolvimento relacionados com IoT nos próximos três anos”, anunciou Michael Dell, CEO e chairman da Dell Technologies.

Para assegurar que esse investimento é realizado da forma mais eficiente, a Dell anunciou a criação de uma nova divisão de soluções IOT, que será liderada por Ray O’Farrell, que continuará a ser o vice-presidente executivo e CTO da VMWare, empresa do grupo.

A divisão combina tecnologias desenvolvidas internamente com ofertas provenientes da comunidade de parceiros da Dell Technologies para disponibilizar soluções completas para o cliente, explicaram os responsáveis da empresa durante o IQT Day que reuniu em Nova Iorque clientes, parceiros, analistas do sector, entre outros.

A nova divisão de IoT irá contribuir para impulsionar as vendas das várias famílias de produtos das várias áreas de negócio da Dell Technologies (Dell, Dell EMC, Pivotal, RSA Securenetworks, Virtualstream ou VMWare) com o objectivo de “assegurar a entregar da solução certa – como resultado do nosso vasto ecossistema de parceiros – para dar resposta às necessidades dos clientes e ajudá-los a desenvolver sistemas integrados de IoT mais facilmente”, explicou Ray O’Farrell.

Novo modelo de computação “core” distribuída

Com o objectivo de acelerar a adopção de soluções IoT, a Dell desenvolveu um novo modelo de computação “core” distribuída, no qual assenta sua estratégia para aquela área. Este modelo envolve as mais recentes tecnologias de Inteligência Artificial e Aprendizagem Automática que são orquestradas com a infra-estrutura IoT para disponibilizar sistemas mais inteligentes e mais preditivos.

Nas palavras de Michael Dell, “a inteligência artificial e a aprendizagem automática serão os motores a jacto do progresso da humanidade, e os dados serão o combustível” dessa evolução. “Uma vez que na Dell Technologies armazenamos mais de metade dos dados críticos mundiais, o nosso objectivo é inovar com os nossos clientes e parceiros para assegurar a infra-estrutura para permitir que essa inovação contribua um ciclo contínuo de inovação e melhorias”, declarou.

“A IA e a ML serão os motores a jacto do progresso da humanidade, e os dados serão o combustível desse progresso”, Michael Dell (Dell Technologies)

Michael Dell recordou, resumidamente, a história da computação desde a centralização dos mainframes, à descentralização das arquitecturas cliente-servidor, passando pelo advento da Internet e evolução para a cloud, assente novamente em arquitecturas centralizadas em centros de dados. Actualmente essa arquitectura volta no sentido de um modelo distribuído, defende.

Ray O’Farrell, responsável pela divisão de IoT da Dell Technologies

“Existe uma nova geração de aplicações que requerem resposta em tempo real, o que irá levar-nos de volta ao modelo distribuído”. Michael Dell acrescenta que “está a surgir uma nova geração de aplicações que requerem resposta em tempo real.

Pode ser um drone de distribuição autónomo, um carro auto-conduzido ou um robô industrial”. E deu um exemplo, ao seguir num veículo auto-conduzido, se  surgir, de repente, um veado na estrada, os sistemas têm de reagir de imediato, não se pode estar a espera que os dados vão e voltem como numa arquitectura centralizada, sob risco de não ser possível o desvio atempado.

“Acreditamos que vai haver mais dados no edge do que na cloud e que vai haver muito poder de processamento local na edge”, Michael Dell (Dell Technologies)

Para o efeito é necessário “um novo modelo de computação altamente distribuído no extremo da estrutura (“edge computing”), para que a triagem de informação e comunicação instantânea numa lógica machine to machine”, assinala. Por isso, a Dell está a inovar em sensores, servidores e “edge gateways” para executar funções de computação básicas e facilitar o tráfego. Adicionalmente é necessária uma camada de poder de computação próxima dos extremos, a que a empresa escolhe chamar “distributed core”, uma nova geração de infra-estrutura para lidar com eventos reais em tempo real. E este modelo de computação distribuído é a base da nossa estratégia de IoT”, assinala. Para Michael Dell.

“Acreditamos que vai haver mais dados nos extremos do que na cloud e que vai haver muito poder de processamento local neles. No entanto, a cloud continuará a ser extremamente importante para a inteligência artificial, deep learning e analítica. É onde se podem processar dados díspares e não estruturados”, assinalou o CEO. Com todas estas ferramentas, recursos de computação, bibliotecas, software, a inovação irá acelerar e a performance e eficiência das plataformas poderá aumentar 10 ou 100 vezes num futuro próximo, prevê.

Novos produtos, laboratórios e programa de parceiros

Com base na visão da empresa que caminha para uma nova arquitectura de computação distribuída que combina o IoT e a inteligência artificial num único ecossistema interdependente do extremo ao núcleo da cloud, a empresa anunciou igualmente o desenvolvimento de novos produtos especificamente criados para IoT, o investimento em laboratórios e um reforço no programa de parceiros para acelerar a implementação de projectos.

Nos próximos três anos, a Dell Technologies vai investir mil milhões de dólares em novos produtos, soluções, laboratórios, programa e ecossistema de parceiros

Actualmente, a Dell Technologies já fornece Edge Gateways e centros de controlo IoT VMware Pulse. Os servidores PowerEdge C-Series da Dell EMC foram melhorados para incorporar a aprendizagem automática como parte do core distribuído.

Os sistemas de armazenamento Isilon e Elastic Cloud permitem o armazenamento de quantidades massivas dados, ficheiros ou objectos permitindo a análise através do HDFS. Enquanto isso as plataformas Pivotal Cloud Foundry (PCF) e Pivotal Container Service (PKS) são indicadas para o desenvolvimento de aplicações analíticas assentes na cloud, o serviço de virtualização de streams PCV gere o Pivotal Cloud Foundry Service, simplificando o desenvolvimento e as operações de arquitecturas de fluxos de trabalho críticos em cloud através do Virtustream Enterprise Cloud, que está também disponível para armazenamento de objectos cloud off-premises.

Finalmente o DellBoomi serve para conectar a recolha de produção de dados relevantes para melhorar a analítica e o deep learning assentes na cloud. Com a nova estratégia, os desenvolvimentos de novos produtos incluem o Projecto Nautilus da Dell EMC, um software que permite a recolha e consulta de fluxos de dados de gateways IoT em tempo real. Esses dados podem posteriormente ser arquivados para analítica avançada mais aprofundada.

O grupo está também a trabalhar no Project Fire, uma plataforma de hiper-convergência da família de soluções IoT Pulse da VMWare, que inclui gestão simplificada, computação local, aplicações de armazenamento e IoT, como é o caso de analítica em tempo real. O Project Fire permite às empresas pôr em andamento casos de uso de IoT mais rapidamente e inclui uma infra-estrutura de software consistente dos extremos à cloud, passando pelo core.

Outra iniciativa é o Projecto Iris da RSA que está em desenvolvimento no RSA Labs. Esta solução incrementa a capacidade de análise de segurança permitindo a visibilidade e monitorização das ameaças até às extremidades.

Tecnologias disruptivas como os aceleradores de processamento vão aumentar a velocidade da analítica nas extremidades. A colaboração entre a VMware, a Intel e a NVIDIA e o investimento da Dell Technologies Capital na  Graphcore, reflectem a oportunidade de optimização de servidores para o desempenho de IA, ML e deep learning.

Finalmente, o projecto Worldwide Herd visa fazer analítica sobre dados dispersos geograficamente, algo que é cada vez mais relevante ao permitir o deep learning sobre bases de dados que não podem ser movidas devido ao seu tamanho ou questões relacionadas com a privacidade e a regulação.

A estratégia da Dell para o IoT inclui ainda novos serviços (IoT Vision Workshop e IoT Technology Advisory).

Reforço das vantagens para a comunidade de parceiros

Startups apoiadas no âmbito do programa de parceiros da Dell

Para além do foco em tecnologia e serviços, a estratégia da Dell passa ainda por reforçar o seu peso no IoT através de um programa e ecossistema de parceiros. O programa vai agora suportar parceiros de todos os negócios da Dell Technologies, procurando facilitar a colaboração.

Aquele para parceiros de soluções IoT inclui mais de noventa empresas incluindo corporações como a Intel, a Microsoft ou a SAP, mas também start-ups como a Action Point, a IMS Evolve, a FogHorn e a Zingbox.

Durante o evento, a Dell Technologies assinalou que continua empenhada na produção de normas abertas para a IoT estando a trabalhar com os consórcios EdgeX Foundry (fundado em Abril) e OpenFog.

Com o objectivo de apoiar os clientes, a Dell está também a disponibilizar novas formas de financiamento, incluindo opções flexíveis de pagamento para aquisição ou consumo através dos Serviços Dell Financial.

O apoio às empresas passa ainda pelo financiamento através do braço de capital de risco Dell Technologies Capital. Esta divisão está a trabalhar em conjunto com a nova divisão de IoT com o objectivo de criar soluções para esta agenda estratégica.

A Dell investe em startups e fundadores promissores, dando-lhes acesso a um “ecossistema inovador, acelerando de facto o desenvolvimento e lançamento de novas soluções e tecnologias de IoT, AI e ML”. É o caso da Edico Genome, da FogHorn Systems, da Graphcore, da Moogsoft e da Zingbox.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado