Oracle aproveita a AI para aplicações na cloud

Na OpenWorld, a empresa vai disponibilizar as aplicações Adaptive Intelligence para ERP, HCM e SCM, e novas ofertas de PaaS.

Aumentando o ritmo de enriquecimento da sua oferta de software como um serviço (SaaS) e plataformas como serviço (PaaS), a Oracle procura aproveitar a vaga de empresas que estão abandonar aplicações empresariais implantadas em instalações suas e para adoptá-las em cloud computing.

Na sua conferência anual OpenWorld, em São Francisco, a decorrer até dia 5 de Outubro, a empresa anunciou a extensão das suas aplicações Adaptive Intelligence para quase toda a sua oferta de software empresarial.

Apresentou ainda uma base de dados autónoma e serviços de chabot e blockchain em cloud computing. As Adaptative Intelligence vão abranger toda a oferta de suites em cloud, incluindo para ERP, gestão de capital humano (HCM, sigla em inglês) e gestão da cadeia de abastecimento (SCM, sigla em inglês).

Foram projectadas para levar automação e aprendizagem automática a diferentes conjuntos de tarefas, partindo de dados obtidos de cada utilizador interno, assim como da grande quantidade de dados de terceiras partes, que a Oracle oferece através da Data Cloud.

“No caso dos ERP envolve, a forma como as empresas olham para os fornecedores, como são obtidos os dados sobre eles para optimizar os termos de contratos na adjudicação e quando os contratos são firmados, quando aparecem as facturas ou se optimiza os termos de pagamento “, Jack Berkowitz, vice-presidente da Oracle para produtos e ciência de dados para a Oracle Adaptive Intelligence.

Para a suite de SCM, as aplicações de IA foram concebidas de modo a ajudar as empresas a detectarem o grau de procura e optimizar os preços para melhorar a gestão de caixa.

Na plataforma de HCM, as aplicações da IA ​​servem para mais do que apenas filtrar currículos. “Trata-se de ajudar as pessoas a seleccionar bons funcionários com base no desempenho, não apenas pelo facto de terem um bom currículo. Sabemos que as pessoas com determinado perfil têm um bom desempenho nas vendas, ou são normalmente promovidas”, explica o responsável.

Para a suíte de SCM, as aplicações de IA foram concebidas de modo a ajudar as empresas a detectarem o grau de procura e optimizar os preços para melhorar a gestão de caixa. Também deverão ajudar a identificar os fornecedores certos para necessidades específicas de empresas.

As aplicações de IA foram projectadas para se ajustarem continuamente em resposta aos dados. “Nós adoptamos a noção de inteligência conectada, onde podemos trazer para a experiência de HCM, por exemplo, visões reais sobre que desempenhos as pessoas de vendas, a contratar, poderão ter após a contratação”, disse Berkowitz.

Vários fornecedores também estão incorporar IA no seu software, mas a Oracle quer diferenciar-se ao oferecer um conjunto mais amplo de aplicações empresariais, assim como ofertas complementares de PaaS. A Salesforce, por exemplo, é líder em SaaS e PaaS, mas tem uma base de clientes menor.

No OpenWorld, a Oracle também está a destacar sua estratégia de disrupção na tecnologia subjacente para as suas aplicações na oferta de PaaS, anunciando novos serviços de chatbot, IA e blockchain.

A tecnologia de IA está a ser disponibilizada via Oracle AI Platform Cloud Services. As instâncias da AI Platform Cloud são pré-instaladas com bibliotecas, ferramentas e matrizes de aprendizagem automática profunda, incluindo TensorFlow, Keras Jupyter Notebook e NymPy, afirma a Oracle. Os utilizadores têm acesso à Oracle Object Store e podem conectar-se a “clusters” ou agrupamentos Spark e Hadoop.

O Blockchain Cloud Service faz parte da Cloud Platform, é gerida pela Oracle e projectada para fornecer aprovisionamento rápido, monitorização interna e backup contínuo. A tecnologia de “blockchain” pode, por exemplo, ser incorporada em aplicações de SCM para monitorizar o histórico de transacções e a localização dos componentes.

“Chabots” como um serviço

A Oracle também está a lançar as suas capacidades de chatbot como um serviço, integradas na Mobile Cloud. Primeiro reveladas no OpenWorld do ano passado e anunciadas para fazerem parte da suite de gestão de experiência do cliente da empresa em Abril, podem agora ser usadas para uma variedade de aplicações.

“Agora também estamos permitir que os clientes comprem-nas directamente para seu uso, para as suas aplicações individualizadas. Podem querer usar em serviços de cuidados de saúde, ou nas operações de comércio”, disse Amit Zavery, vice-presidente de desenvolvimento de produto para a Oracle Cloud Platform.

A ideia é servir melhor o envolvimento com os clientes finais, sejam clientes que visitam um site de uma empresa ou funcionários internos de uma organização usando uma aplicação de RH, observou Steve Miranda, vice-presidente executivo de desenvolvimento de aplicações. A lógica das aplicações de AI pode ser integrada como os “chatbots”, para que, por exemplo, possam recomendar produtos automaticamente a um cliente em visita a um site de eCommerce.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado