25% de decisores de TI dizem-se preparados para o RGPD

Um levantamento feito pela Kaspersky sugere que 26% dos inquiridos portugueses fez preparação para o novo regulamento, uma das percentagens mais baixas na União Europeia.

Num estudo concluído antes de Abril de 2017, 25% dos decisores de TI portugueses inquiridos pela Kaspersky Lab consideravam-se bem preparados para o novo Regulamento Geral de Protecção de Dados (RGPD). Segundo uma comunicado da empresa, é dos países onde menos profissionais se tinha preparado, pelo menos até ao momento do inquérito, para garantir a conformidade com as regras.

O indicador registado para o universo português ‒ 26% ‒ está próximo daqueles identificados na Noruega (25%) e na Bélgica (18%). Os países da Europa que lideram em termos de preparação para o RGPD são o Reino Unido (82%), França (82%), Alemanha (84%), Itália (85%) e Espanha (84%).

As regras do RGPD começam a ser aplicadas a 25 de Maio de 2018, os maiores índices de confiança registam-se no Reino Unido. Neste país quase metade (49%) dos inquiridos sente-se confiante com o seu conhecimento sobre o GDPR, e nível é semelhante em mais três países: França (47%), Alemanha (46%) e Itália (46%).

O cenário é com efeito mais positivo no “top cinco” da União Europeia. Quatro em cada cinco inquiridos no Reino Unido (82%), França (82%), Alemanha (84%), Itália (85%) e Espanha (84%) afirmou que as preparações estão encaminhadas.

O estudo foi feito à escala junto de mais de dois mil decisores de TI em organizações com mais de 50 colaboradores, em 11 países.

“Muitas empresas estão a colocar-se a si próprias e aos seus clientes em risco ao não adotarem medidas vitais neste momento na forma como a informação pessoal é recolhida e protegida. A boa notícia é que muitas empresas estão já a praticar boas medidas de gestão de dados, portanto, apesar de parecer uma tarefa gigantesca, muito do trabalho de base já está feito para garantir total conformidade com o regulamento a 25 de Maio de 2018”, comentou Alfonso Ramirez, director-geral da Kaspersky Lab Iberia.

O estudo foi feito junto de mais de dois mil decisores de TI em organizações com mais de 50 colaboradores. Foi levado a cabo em 11 países europeus, incluindo o Reino Unido, França, Alemanha, Itália, Espanha, Portugal, Bélgica, Holanda, Suécia, Dinamarca e Noruega.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado