BI4All cria serviço de preparação para o RGPD

A especialista em Business Intelligence criou um serviço que visa ajudar os seus clientes a estar conforme as exigências do Regulamento Geral de Protecção de Dados.

A empresa de desenvolvimento de soluções de business intelligence anunciou uma oferta de serviços com o objectivo de auxiliar os seus clientes no processo de transição para o novo Regulamento Geral de Protecção de dados (RGPD).

A Bi4All “aposta numa abordagem integrada”, que alia processos, operações, tecnologia e ainda as matérias legais, explica em comunicado.

Neste tema específico, a tecnológica estabeleceu uma parceria privilegiada com a CS Advogados – Campos Ferreira, Sá Carneiro e Associados que visa o acompanhamento de todo o processo, desde a recolha de informação, à elaboração e análise dos questionários até à identificação dos falhas. A BI4All assinala, no entanto, que, não obstante a parceria privilegiada, podem colaborar com outros advogados caso os clientes assim o prefiram.

A abordagem adoptada pela BI4All identifica “os tratamentos, as finalidades, os fluxos de dados, as partilhas e as transferências da organização” e passa ainda pela elaboração de um questionário com o objectivo de identifica a posição das empresas face às exigências do RGPD.

“Estamos a menos de um ano para a oficialização do RGPD”, mas “as empresas estão longe de perceber o impacto que estas alterações vão ter no seu negócio”, José Oliveira, BI4All.

A tecnológica propõe-se ainda realizar uma análise ao estado do IT na organização, nomeadamente no que diz respeito aos temas específicos da protecção de dados como “a gestão de acessos, a monitorização, a cibersegurança, a automatização de pedidos de cidadãos, a gestão de dados e serão também identificados gaps e soluções, através da criação de um plano de acção e de mitigação do risco”.

O CEO da BI4ALL, José Oliveira, alerta que “estamos a menos de um ano para a oficialização do RGPD”, mas que “as empresas estão longe de perceber o impacto que estas alterações vão ter no seu negócio”. Conclui sublinhando que é “essencial que comecem a tomar medidas para entrar em conformidade”.

A 25 de Maio de 2018, e depois de um período transitório de dois anos, as empresas têm obrigatoriamente de estar em conformidade com as novas regras de protecção de dados que se aplicam a todo o território da União Europeia. Em caso de inconformidade, as sanções podem chegar aos 20 milhões de euros, ou 4% do volume de negócios anual.

Mais complexos são os direitos e deveres que são atribuídos aos cidadãos e que obrigam as empresas que tratam dados pessoais a alterar os seus métodos.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado