Custos de armazenamento preocupam empresas

Não obstante as vantagens competitivas, os CFO inquiridos pela Fujitsu estão preocupados com o aumento exponencial dos custos de gestão, armazenamento e segurança dos dados.

Nos próximos quatro anos, os requisitos de armazenamento de dados para as PME deverão duplicar, segundo um estudo da Fujitsu. Os decisores financeiros dessas empresas (76%) estão preocupados com este incremento do volume de dados que poderá levar “ao aumento exponencial dos custos de gestão e armazenamento” desses dados.

Esta preocupação contrasta com as vantagens identificadas. Três em cinco dos CFO consultados (182 distribuídos pela Europa, Médio Oriente, África e Sul da Ásia) considera que a tecnologia é um “importante activador da eficiência operacional durante a transformação digital” (59%). Por outro lado, mais de um quarto dos CFO inquiridos encara a “tecnologia como uma fonte essencial de vantagens competitivas” (28%).

Sendo as vantagens virtualmente indiscutíveis, as preocupações são também substanciais. Questões como a disponibilidade, protecção e segurança dos dados estão entre os riscos identificados a que acresce as possíveis implicações de um crescimento inesperado no volume de dados. Estas preocupações assentam na necessidade de financiamento de capacidades de armazenamento adicionais e o aumento exponencial dos custos de gestão de dados devido a esse incremento.

Tendo em conta este panorama, o estudo conclui que os gestores financeiros têm maior probabilidade de aprovar soluções de armazenamento preparadas para lidar com alterações futuras e com um “crescimento rápido e imprevisível”. Além disso, “a possibilidade de adicionar capacidade sem substituir sistemas de armazenamento inteiros” é essencial para 67% dos gestores financeiros.

Os CFO esperam que novas tecnologias de armazenamento ofereçam automatização para reduzir a dependência de capacidades manuais de modo a minimizar os custos e risco.

Em causa estão motivos históricos. Os profissionais financeiros estão “cientes dos desafios colocados pelas soluções tradicionais baseadas em disco e tape e expressaram frustração por factores como os sistemas atingirem limites de expansibilidade, o que origina: solicitações de investimento inesperadas; o desperdício de equipamento que atinge prematuramente o fim de vida; uma elevada dependência de pessoal TI especializado; e os desafios associados à manutenção dessa especialização”.

O estudo aponta ainda caminhos para o futuro. Os CFO delinearam as características chave que esperam ver nas novas tecnologias de armazenamento: automatização para reduzir a dependência de capacidades manuais de modo a minimizar os custos e o risco; a possibilidade de adicionar capacidade à medida que as exigências aumentam, sem substituir sistemas inteiros, e uma flexibilidade geral do sistema para lidar melhor com um crescimento elevado e inesperado dos dados.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado