“Cloud protege-nos na gestão de tecnologia SAP a longo prazo”

O modelo libertou a Seidor de problemas, apesar de reduzir capacidade de gestão, e permitiu a aceleração e crescimento do negócio, diz o director-geral da empresa.

Miguel Barbosa, Seidor

Miguel Barbosa, director-geral da Seidor

O negócio da Seidor está a crescer. A consultora, que trabalha, desde 2007, exclusivamente com tecnologia SAP em Portugal, está a contratar e antecipa um crescimento de 16% a 25% na facturação durante o corrente ano. O segmento de cloud tem contribuído para a sedimentação do negócio da empresa, desde a aquisição do primeiro cliente em 2013.

Com o SAP Business by Design, a solução do fabricante para a cloud, o negócio da Seidor sofreu ajustamentos, que se revelaram positivos, de acordo com Miguel Barbosa, director-geral da consultora em Portugal. “Com a cloud, o negócio cresceu bastante”.

O novo modelo permite que as implementações sejam “muito mais rápidas” e os consultores possam partir “rapidamente para novos clientes”. É verdade que a consultora, perdeu a “manutenção anual [incluindo upgrades e formação] que passou a ser feita pela SAP”.

No entanto, também se libertou de problemas “porque ao ter menos capacidade da gestão a longo prazo, também nos protegemos”. “O SAP Business ByDesign representa uma grande aposta da empresa no mercado nacional”, defende o responsável.

“A representatividade desta solução na Seidor está a crescer, com a contratação de novos colaboradores que darão apoio directo na fase de consultoria e implementação”. Recorde-se que com o modelo de negócio na cloud, a SAP passou a fazer directamente a gestão do armazenamento e do backup da solução “pelo que deixa de ser uma preocupação das empresas tratar da expansibilidade dos servidores, comprar mais disco ou libertar espaço”, detalha Miguel Barbosa.

A Seidor diz ter actualmente sete clientes em Portugal, quatro dos quais de grandes dimensões, a utilizarem a solução da SAP em cloud computing

Sendo assim, “a Seidor é responsável pela consultoria, implementação da solução, formação, personalização, criação de relatórios e a capacitação e condução das pessoas e empresas ao longo da entrada em produção. A consultora, que promoveu os seus serviços junto dos clientes esta semana em Lisboa, trabalha com o SAP by Design em Portugal desde 2013, embora o grupo, a nível internacional, já o trabalhasse antes.

O primeiro negócio envolveu “a aquisição de um cliente com 146 licenças e uma dispersão geográfica grande”. A dispersão geográfica é um dos motivos que, na hora de tomar a decisão, leva os clientes a optar por uma solução na cloud, pois esta permite “ligar todos os pontos sem ter de fazer uma gestão difícil e caótica de toda a infra-estrutura, hardware ou comunicações”.

A Seidor diz ter actualmente sete clientes em Portugal, quatro dos quais de grandes dimensões, a utilizarem a solução da SAP em cloud computing. Nos últimos casos, as “sedes têm SAP ECC – S/4Hana – e as empresas procuraram a solução na cloud para interligar as subsidiárias a nível mundial”, explicou Miguel Barbosa.

“A solução integrada da solução cloud, através de Web Services com o S/4Hana, dá às sedes a capacidade de fazer a consolidação de toda a empresa e de ter uma visualização de toda a realidade de cada uma das subsidiárias”, detalhou. Acrescenta ainda que a solução da SAP permite o alojamento de documentação, o armazenamento de ficheiros e anexos, a digitalização de documentos e arquivo dentro dos processos de negócio de forma integrada.

Em Portugal, a Seidor é parceira “Gold” da SAP em Portugal, sendo, mas o grupo a que pertence é parceiro “Platinum” à escala mundial, fazendo parte do United VAR, conjunto específico de parcerias do fabricante de abrangência mundial. Globalmente, o grupo, que factura 350 milhões de euros, trabalha também com soluções Microsoft, Adobe, entre outras.

Cloud potencia crescimento

O negócio da Seidor em Portugal tem vindo a crescer em número de colaboradores e facturação nos últimos dois anos, com o reforço do negócio cloud. Desde o final de 2015, a empresa passou de cinco para quase duas dezenas de colaboradores no final de 2017. “Crescemos cerca de 120% em termos de número de colaboradores.

No corrente ano vamos crescer 50% e no próximo ano prevemos um nível de contratação alto”. Actualmente emprega 15 pessoas. Este ano já contratou quatro e tem outras quatro vagas em aberto.

O volume de negócios, em 2016, foi de 1,2 milhões de euros, valor que deverá crescer entre 16% e 25% para entre 1,4 e 1,5 milhões de euros durante o corrente ano. A Seidor chegou a Portugal em 2007, quando verificou que existia espaço para entrar no mercado, com o software de gestão da SAP. Em 2013 incorporou também o negócio “By Design”.

Actualmente, a empresa conta com 30 clientes Business One, 25 ECC, incluindo manutenção e suporte de sistemas, e os já referidos sete clientes By Design. Em Portugal, foram criadas divisões internas que contam actualmente com seis consultores focados em Business One e cinco em By Design. O resto da equipa é composta por comerciais.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado