“Gateway” de API para micro-serviços usa Node.js

A LunchBadger criou um componente capaz de funcionar como coração de redes de micro-serviços permitindo que estes micro-serviços funcionem com software de infra-estrutura, como o de orquestração de “containers”.

Procurando reduzir alguma complexidade nas implantações de micro-serviços, a LunchBadger criou um “gateway” de API em open source para proteger os primeiros e expô-los através das referidas interfaces. Desenvolvido sobre a matriz Express, para aplicações de Internet Web, o denominado Express Gateway, encaminha as solicitações de serviço usando os sistema de execução Node.js e o middleware Express.

De acordo com o fabricante, o novo “gateway” oferece capacidades de configuração centralizada, gestão de credenciais de consumidores e API e um dispositivo de conexão. O componente de software será o coração de um estrutura de micro-serviços, sustenta o CEO da LunchBadger, Al Tsang.

Permite, explica o responsável, que os micro-serviços funcionem com infra-estruturas de software, como a orquestração de “containers” pela tecnologia Kubernetes. A LunchBadger oferece uma plataforma de API e micro-serviços e tem o suporte da Joyent para o “gateway”.

Este está disponível como módulo NPM, vem com uma CLI, uma API Rest e repositório de dados distribuído. Foi concebido para funcionar em projectos com utilização de quaisquer linguagens, estruturas e micro-serviços.

Os dados das aplicações podem ser armazenadas centralmente numa estrutura tradicional ou distribuída

O “gateway” transforma a matriz Express num sistema de execução dinâmico. A configuração do aplicativo para casos de uso da API é centralizada um único ficheiro YAML ou JSON. Traz também um componente para registo dos consumidores das API.

Os dados das aplicações podem ser armazenadas centralmente numa estrutura tradicional ou distribuída. O acesso pode ser universal e a tecnologia oferece margem de expansão, com os programadores a poderem usar várias instâncias do “gateway”.

A configuração das aplicações podem ser centralizadas mesmo num agrupamento de gateways.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado