Um ano de combate ao ransomware

Até 25 de Julho de 2017, data do seu primeiro aniversário a iniciativa libertou 28 mil dispositivos daquele tipo de cibercrime e congregou mais de 109 parceiros globais.

Há pouco mais de um ano, a Polícia Nacional Holandesa, a Europol, a McAfee e pela Kaspersky Lab lançaram a iniciativa No More Ransom. Ao projecto já se associaram 106 parceiros depois de 25 de Julho de 2016.

A ocorrência de ataques com ransomware tem aumentado desde 2012. A ofensiva do WannaCry no passado mês de Maio atingiu mais de 300 mil vítimas em empresas localizadas num conjunto de 150 países durante os seus primeiros dias.

Algumas organizações ainda estão a tentar recuperar dos ataques ExPetya de 27 de Junho. O número total de utilizadores que se depararam com ransomware entre Abril de 2016 e Março de 2017 aumentou 11,4%, de 2,315 para mais de 2,581 comparação com os 12 meses anteriores diz ainda um comunicado.

Primeiro ano da No More Ransom em números:

‒ o número de ferramentas no site da iniciativa inclui agora 54 ferramentas de desencriptação, fornecidas por nove parceiros abrangendo
104 tipos (famílias) de ransomware.

‒ Até 25 de Julho de 2017 a iniciativa serviu para desencriptar mais de 28 mil dispositivos;

‒ Evitou-se o pagamento de cerca de oito milhões de euros em resgates;

‒ O portal contou com mais de 1,3 milhões de visitantes;
‒ Durante o ataque do WannaCry, 150 mil pessoas visitaram o site;

‒ Alguns dos mais recentes parceiros: Abelssoft, Ascora GmbH, Barclays, Bitsight, Bournemouth University (BU), CERT.BE, Claranet, CSA Singapore, ESTSecurity, Fortinet, Global Forum on Cyber Expertise (GFCE), InterWorks, IPA, KISA (Korean Internet & Security Agency), TWCERT/CC, LLC, Universidade do Porto e vpnMentor, unidades policiais da República Checa, Grécia, Hong Kong e Irão.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado