Como o software continua a liderar o investimento em TI

A Gartner diz que os gastos em TI devem crescer 2,4% em 2017.

As empresas estão a actualizar as suas plataformas de software para usarem cloud computing e combinar novos sistemas para suportar projectos de negócio digital. O resultado é o acréscimo de investimento em TI por todo o mundo.

A Gartner prevê que os gastos aumentem perto de 2,4% em 2017, ascendendo a 3,5 biliões de dólares, face ao crescimento anémico de 0,3% no ano passado. O grande motor do crescimento é de facto o software empresarial, deverá aumentar 7,6% este ano, atingindo os 351 mil milhões, de acordo com a consultora.

“Estamos chegar aos sistemas de ERP ‘pós-modernos’, com substituição e envolvimento de sistemas existentes com a cloud, e o investimento em CRM está a crescer imenso porque é fácil de oferecer em cloud computing”, assinala John David Lovelock, vice-presidente de pesquisa da Gartner.

A despesa com CRM em alguns países deverá aumentar 35% em 2017, prevê Lovelock. No geral, espera-se que as empresas gastem 30 mil milhões em sistemas de ERP e 39 mil milhões nos de CRM.

As previsões da Gartner para 2017 para o investimento em TI aumentaram e diminuíram nos últimos trimestres, mas a maioria dos ajustes às suas previsões deveu-se a flutuações no valor do dólar. (Em termos de valor constante de moeda, a consultora prevê um crescimento de gastos de TI na ordem dos 3,3%).

Os bancos, por exemplo, podem começar a oferecer serviços que analisam os padrões de despesa dos clientes e sugerir formas de economizar dinheiro, refere John David Lovelock (Gartner)

Mas as flutuações não estão a alterar as tendências fundamentais nos gastos de TI: à medida que os utilizadores se apegam aos seus smartphones por dois, três ou até quatro anos, em vez de actualizá-los todos os anos, o grande motor de crescimento de TI será a transformação digital das organizações.

As tendências do negócio “transformado” inclui a utilização de infra-estrutura de IoT nas estruturas de fabrico e de blockchain em serviços financeiros e outras indústrias, assim como “máquinas inteligentes” no retalho, diz Lovelock.

Mas a tecnologia para impulsionar a transformação digital ainda não foi “comoditizada”, observa Lovelock. “Já se conseguem obter fragmentos, mas muito está a ser ainda ‘escrita’”, considera.

A tecnologia blockchain está a ser cada vez mais usada para agregar e transmitir informações sobre artigos em navios de carga, por exemplo. “As organizações estão a tentar fazer isso no ambiente de blockchain ‒ e tudo isso está a ser desenvolvido ainda, existem componentes, mas a maioria está a ser escrita a partir do zero”, assinala Lovelock.

Os bancos, por exemplo, podem começar a oferecer serviços que analisam os padrões de despesa dos clientes e sugerir formas economizar dinheiro.

Negócio dos serviços cresce 3,1%

Entretanto, as empresas estão despender mais dinheiro em sistemas modernos de inteligência para negócio capazes de complementar a aprendizagem automática, aumentando a receita de fornecedores desses sistemas na ordem dos 35% em 2017, diz Lovelock.

Para construir novos sistemas baseados em aprendizagem automática, IoT e máquinas inteligentes, as empresas recorrem à ajuda de grandes fornecedores de serviços, alimentando o crescimento dos serviços de TI 3,1% durante o corrente ano, prevê a Gartner.

Espera-se que os gastos com o sistema de centros de dados cresçam 0,3 % à medida que as implantações de equipamento de armazenamento diminuem. São apenas parcialmente equilibradas pelos gastos em tecnologia de servidores para a cloud computing.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado