Novas tecnologias estão a falhar na criação de procura

O fornecimento de PC, tablets e smartphones deverá regredir ligeiramente em 2017 como resultado do factor, diz a Gartner.

O número de equipamentos como PC, tablets e smartphones deverá atingir 2,3 mil milhões de unidades em 2017, uma ligeira queda de 0,3% face a 2016, de acordo com a Gartner. A consultora de mercado menciona que a diminuição é resultado de novas tecnologias estarem a gerar procura. Contudo não deixarão de ter impacto no longo prazo.

De acordo com a Gartner, a base total instalada para dispositivos, com inteligência artificial e assistentes pessoais virtuais, é actualmente de cerca de sete mil milhões de unidades. E nesse contexto os fabricantes estão particularmente dedicados a procurar formas de adicionar novas capacidades, com potencial de dar aos seus produtos uma vantagem no mercado.

As tecnologias usadas vão crescer em adopção ao longo do período de previsão, mas é difícil ver qualquer impacto “revolucionário” nas primeiras iterações, de acordo com o director de pesquisa da Gartner, Ranjit Atwal.

“Hoje, a experiência do utilizador com novas tecnologias, como a AI e assistentes pessoais está abaixo da norma evidente no resto do sistema do dispositivo, e o custo para elevar esse padrão rapidamente é proibitivo face aos benefícios”, explica Atwal.

No curto prazo, acrescenta, o mercado continuará a ser impulsionado por avanços incrementais na tecnologia tradicional. “Mas, daqui a três ou quatro anos, começará a patentear mudanças significativas nos padrões de uso e formatos, especialmente conforme a tecnologia sem fios 5G for introduzida”, antevê Atwal.

Segundo Ranjit Atwal (Gartner) disse que o impacto do preço dos componentes nos PC está a ser absorvido pelos fabricantes, que preferem não perder quota.

A Gartner considera que, mesmo com a ligeira diminuição em 2017, o mercado voltará ao crescimento em 2018 com um aumento de 1,6% nas encomendas. A desaceleração do declínio do mercado de PC e o forte crescimento no

Ranjit Atwal, director de pesquisa da Gartner

fornecimento de smartphones serão as bases dessa evolução.

A consultora nota que o número de PC fornecidos acompanha uma linha de queda de 3% em 2017. Apesar disso a taxa de declínio é mais lenta do que nos últimos anos, aliviada pelas compras na migração para o Windows 10. Os preços de componentes como a memória DRAM e o drives SSD continuam a aumentar, criando um contexto desfavorável.

Segundo Atwal disse que o impacto do preço dos componentes nos PCs está a ser absorvido pelos fabricantes. Prescindem de parte das suas margens, temendo a alternativa de perderem quota num mercado competitivo.

“Os compradores de PC continuam a privilegiar qualidade e funcionalidade em desfavor do preço. Muitas organizações estão a chegar ao fim dos seus períodos de avaliação sobre o Windows 10 e aumentam o ritmo de que adopção de novos PC, ao verem benefícios claros de terem melhor segurança e hardware mais recente “, sustenta Atwal.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado