D-Orbit Portugal desenvolve software para satélites

A operação portuguesa participou na preparação de vários sistemas, inclusive aquele que desencadeará o processo de desintegração do satélite D-Sat.

A D-Orbit Portugal uma subsidiária da D-Orbit Srl, participou na preparação da missão espacial D-Sat para lançamento de um satélite. É responsável por desenvolver e testar o software de bordo, da estação terrestre e de controlo para a experiência “DeCas”.

Executou também os testes sobre o hardware para a experiência “Atmosphere Analyzer”. O equipamento deverá ser colocado em órbita na terceira semana de Junho e será o primeiro satélite capaz de se remover do circuito, no final da sua missão.

Um dos propósitos disso é deixar o Espaço o mais limpo possível, e impedindo a sua transformação em perigosos detritos espaciais. A D-Orbit Portugal é uma das empresas apoiadas pela Incubadora da Agência Espacial Europeia em Portugal (ESA BIC Portugal), coordenada pelo Instituto Pedro Nunes (IPN).

A tecnologia de suporte, denominada D-Orbit Decommissioning Device (D3), foi desenvolvida pela D-Orbit para o mercado de satélites. “O D-Sat executará uma manobra de desmantelamento direta e controlada que causará a reentrada do satélite na atmosfera em apenas 30 minutos, causando a sua desintegração sobre áreas inabitadas”, explica um comunicado.

A missão D-Sat tem um duplo objetivo final. É uma missão de teste e validação do sistema para desintegração e suportará a realização de três experiências de âmbito social e ambiental: SatAlert, Debris Collision Alerting System (DeCas) e Atmosphere Analyzer .

SatAlert é uma experiência desenvolvida em colaboração com o CNIT e a Università di Firenze no sentido de testar e validar o protocolo de emergência MAMES (Multiple Alert Message Encapsulation).

A “Atmosphere Analyzer” é uma experiência que pretende validar uma abordagem inovadora para amostragem da ionosfera. Durante a manobra de reentrada, o D-Sat passará através de uma região da ionosfera entre os 80 e 150 quilómetros de altitude, recolhendo dados e transmitindo-os para a Terra. Até aos dias de hoje, esta é a região menos estudada da atmosfera por se encontrar a uma altitude demasiado alta para os balões estratosféricos e demasiado baixa para os satélites.

SatAlert é uma experiência desenvolvida em colaboração com o CNIT e a Università di Firenze no sentido de testar e validar o protocolo de emergência MAMES (Multiple Alert Message Encapsulation). Quando estiver em órbita, o D-Sat irá recolher mensagens de emergência enviadas da estação da Terra, armazená-las a bordo e redistribui-las a entidades de segurança pública depois de ter recebido um comando específico nesse sentido.

Esta experiência servirá para validar um típico cenário de emergência no qual as agências de defesa civil precisam de um sistema para fazer chegar instruções a áreas afectadas por desastres naturais e onde as infraestruturas terrestres deixaram de funcionar. DeCas é uma experiência desenvolvida pela Aviosonic para estudar as dinâmicas de fragmentação de um satélite durante a sua reentrada. A experiência consiste numa espécie de “fragmento inteligente” que tem a capacidade de determinar a sua posição enquanto o satélite se desintegra.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado