SPMS incorpora BI na plataforma LIGHt

A componente para análise de processos e sistemas, implantada pela Compta, é composta por vários painéis de informação que equipam a plataforma de integração local de informação, da empresa pública.

A SPMS incorporou uma componente de BI, baseada em tecnologia Power BI, da Microsoft, sua plataforma de integração local LIGHt, Local Interoperability Gateway for Healthcare. O conjunto de aplicações implantado pela Compta, nasceu no contexto da parceria desta empresa com a entidade da Administração Pública e resulta na disponibilidade de vários painéis de informação.

As ferramentas foram adoptadas com o intuito de analisar processos e sistemas, para promover a eficiência e sustentabilidade da plataforma de integração. Outros objectivos incluem a melhoria da visibilidade das várias entidades interessadas sobre o funcionamento do sistema, tornando-o mais transparente.

Ao mesmo tempo, a SPMS procura com o projecto, aumentar o grau de controlo e de conhecimento para determinar pontos de melhoria de forma pró-activa. Joana Cunha da SPMS, líder de equipa da LIGHt na Unidade de Coordenação de Sistemas Locais de Informação Clínica e Administrativa (SLICA) da SPMS, explica que “a solução implantada proporciona uma visão geral sobre todos os eventos gerados nos hospitais abrangidos”.

O número dessas ocorrências ascende a mais de cem mil, diariamente. Segundo a responsável, a LIGHt passou a ter as bases para “muitos outros projectos de interoperacionalidade local. Mas isso vai implicar “crescer exponencialmente e levar os benefícios da solução a outras unidades”, refere.

Além desse caminho, Joana Cunha revela que a SPMS pretende no futuro adicionar mais funcionalidades, com recurso a inteligência artificial. “Entendemos que adicionará mais valor, facilitando ainda mais os processos de tomada de decisão”, complementa.

No controlo do acesso ao Registo Nacional de Utentes, é sustentada a capacidade de analisar os tempos de resposta e o número de acesso por hora.

Com o conjunto de funcionalidades de monitorização adicionadas, os painéis oferecem a capacidade de detectar falhas de comunicação/rede, segundo um comunicado. Dessa forma as entidades procuram viabilizar uma análise mais pormenorizada das actividades de um hospital.

No controlo do acesso ao Registo Nacional de Utentes, é sustentada a capacidade de analisar os tempos de resposta e o número de acesso por hora. A plataforma LIGHt foi concebida para proporcionar aos sistemas internos um mecanismo de integração que assegure a gestão das interfaces de uma forma fiável, normalizada e parametrizável.

A SPMS procura conseguir acelerar a detecção de erros, monitorização de processos e workflows de informação. Uma maior adopção de normas no sistemas de mensagens trocadas à escala local, é dos seus objectivos, para um alinhamento das instituições nacionais que facilite futuras integrações internacionais.

A primeira versão da LIGHt foi instalada no Hospital Garcia de Orta, em Almada, em Fevereiro de 2016. Desde essa altura, a plataforma encontra-se em fase de crescimento no número de instalações e de integrações, segundo a Compta.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado