Vodafone Portugal volta a crescer

O volume de negócios da empresa ficou nos 985 milhões de euros no exercício fiscal de 2017, que terminou em Março passado.

 

Mário Vaz, CEO da Vodafone Portugal

A Vodafone revelou ter crescido 1,2% em facturação para os 985 milhões de euros no exercício fiscal de 2017 que terminou no passado mês de Março. No período de actividade anterior, atingira os 972,6 milhões de euros de facturação total, menos 0,2% do que em 2014-2015, quando o indicador regrediu mais de 7%.

Durante o quarto trimestre do ano fiscal de 2016-2017, tal como no terceiro operador registou um incremento de 2,2% das receitas de serviços, suportado sobretudo pelo forte dinamismo do fixo, assinala em comunicado. A facturação foi de 226 milhões de euros.

No mesmo período, as receitas totais, que incluem a venda de equipamentos, progrediram 1,7% homologamente. As receitas de serviços sobem 1,7% face ao exercício anterior, marcando a tendência de crescimento que se mantém pelo sexto trimestre consecutivo. Estes resultados espelham o crescimento das receitas do serviço fixo, sustentado pelo contínuo incremento da base de clientes que contabiliza já mais de 590 mil (mais 18,8% YoY), segundo o operador. A Vodafone diz cobrir 2,7 milhões de lares e empresas, com rede de fibra óptica.

No final de Março, o número de clientes móveis fixa-se em 4176 milhões, mas este valor revela uma redução de 2,8% face a Março de 2016, mas com um peso acrescido de clientes de comunicações de 4G, que ascendem a 1,38 milhões (mais 66,1%). No mesmo período, a utilização de dados móveis acelerou 76,5%.

A 18 de Outubro de 2017 a empresa celebrará 25 de actividade no mercado português, embora só em 2000 tenha obtido a totalidade do capital social da Telecel, organização original onde tinha ganho posição.

“No segmento empresarial, o destaque recai na prestação dos serviços de comunicações fixas, móveis e de dados à Câmara Municipal de Cascais (CMC) e a todo o seu universo empresarial, através de uma solução global e convergente, de elevado grau de sofisticação, desenhada à medida das necessidades do Município”, diz apenas o comunicado.

“O exercício de 2016-2017 mostra que a Vodafone Portugal mantém uma tendência de crescimento, num ambiente de plena convergência, reflexo de uma estratégia de investimento e de diversificação do negócio ao longo dos últimos anos. Para o exercício fiscal de 2017-2018 reiteramos o nosso principal objetivo estratégico: entregar um serviço de excelência aos nossos clientes”, afirma Mário Vaz, CEO da Vodafone Portugal.

A 18 de Outubro de 2017 a empresa celebrará 25 de actividade no mercado português, embora só em 2000 tenha obtido a totalidade do capital social da Telecel, organização original onde tinha ganho posição.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado