Perceived3D recebe financiamento de 1,3 milhões

O “SME Instrument” do programa Horizonte 2020 atribuiu 4,7 milhões de euros para PME portuguesas investirem em inovação.

Carlos Moedas Comissário Europeu responsável pela Investigação, Ciência e Inovação

Carlos Moedas, Comissário Europeu responsável pela Investigação, Ciência e Inovação

A Perceived3D é uma das três novas empresas com projectos de inovação de base tecnológica aprovados na fase 2 do programa comunitário “SME Instrument” do Horizonte 2020. No conjunto as três PME portuguesas vão receber 4,7 milhões de euros de financiamento para investir em inovação.

De acordo com a ANI a “taxa de aprovação nacional é o dobro da média europeia”. A tecnológica de Coimbra vai receber financiamento na ordem dos 1,3 milhões de euros para “especializar a sua tecnologia para procedimentos por artroscopia do joelho e da anca, oferecendo a primeira solução eficaz de artroscopia na cirurgia ortopédica assistida por computador”.

Segundo informação disponibilizada pela Agência Nacional de Inovação, esta empresa é especializada em tecnologia que permite soluções de software de imagiologia avançadas para assistir e guiar os cirurgiões durante procedimentos cirúrgicos pouco invasivos.

No total, o Instrumento PME do Programa de Investigação Horizonte 2020, da Comissão Europeia contemplou mais 71 PME de 22 países. Carlos Moedas, comissário europeu da Investigação, Ciência e Inovação, responsável por este instrumento, assinalou que em dois anos “este instrumento já financiou mais de 60 PME portuguesas inovadoras com mais de 13 milhões de euros”.

Foram submetidas propostas de 30 PME portuguesas, tendo sido aprovadas 10%. A média europeia ficou-se pelos 4,3%.

Segundo a ANI foram submetidas propostas de 30 PME portuguesas, tendo sido aprovadas 10% daquelas. A nível europeu essa taxa ficou-se pelos 4,3%. “Acresce que as PME portuguesas captaram 4,6% do financiamento disponível, um valor muito acima dos 1,5%, a referência que tínhamos até aqui”, assinala a ANI.

A Biomimetx, de Cantanhede vai receber 1,39 milhões para aplicar uma descoberta recente que “será útil nas tintas anti-incrustantes utilizadas, por exemplo, nas embarcações”. Em causa está a descoberta de uma “bactéria única que excreta elevados níveis de moléculas que podem ser utilizadas como antimicrobianos e algicidas naturais através de um processo optimizado de fermentação que a empresa patenteou”.

Finalmente, a Bluemater, do Porto, terá direito a 2,03 milhões de euros de financiamento para continuar a desenvolver um sistema comercial viável para o tratamento de águas residuais em aterros sanitários e na própria indústria, conceito que a PME tem vindo a desenvolver desde 2008.

Para José Carlos Caldeira, presidente da ANI, “estes resultados ilustram a grande evolução verificada na participação nacional no Programa Horizonte 2020, resultante também do trabalho de sensibilização, promoção e apoio à comunidade empresarial”.

O SME Instrument tem o objectivo de apoiar PME com vocação altamente inovadora e capacidade de introduzir alterações disruptivas nos mercados. Está dividido em duas fases: a primeira, na qual são disponibilizados 50 mil euros por projecto, tem como finalidade financiar o desenvolvimento do estudo de viabilidade. A fase 2, com um financiamento até 2,5 milhões de euros por projecto, visa o apoio a actividades relacionadas com o desenvolvimento e demonstração da inovação.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado