WeDo associa-se à Ericsson na gestão de risco

Para além do acordo com a Ericsson que já está a ser trabalhado, a tecnológica portuguesa apresentou a primeira solução de gestão de fraude na cloud.

Rui Paiva, CEO da WeDo

Rui Paiva, CEO da WeDo

A WeDo Technologies firmou uma parceria com a Ericsson com o objectivo de ajudar os operadores a maximizar o valor dos seus investimentos em transformação digital através de uma gestão de risco ainda mais inteligente e protecção de fontes de receitas.

Através da parceria, as soluções da WeDo integram as soluções de segurança da Ericsson, contribuindo para a transformação digital dos clientes desta marca. Depois de um ano de trabalho o contrato foi assinado durante o Mobile World Congress, em Barcelona.

“A Ericsson tem uma componente de serviços que faz o levantamento dos problemas que podem afetar um operador de telecomunicações e, por consequência, as suas receitas”, disse Rui Paiva, CEO da WeDo, ao Computerworld.

O panorama tornou-se particularmente complexo com o advento dos serviços digitais prestados sobre as suas redes, incluindo os pagamentos móveis, “que necessitam de atenção constante”, detalhou Rui Paiva.

Aericsson-wedo-business-assuranceo prestar serviços que vão além da voz são geradas ineficiências que abrem as portas à fraude e afectam as receitas dos operadores, explica Rui Paiva.

Através da parceria, a Ericsson faz o mapeamento de todas estas soluções dos operadores à qual acresce a tecnologia da WeDo para “fazer continuamente a procura, pesquisa e correcções” para evitar controlar as perdas de dinheiro ou as situações de fraude.

Em comunicado conjunto as empresas explicam que a “nova solução irá permitir resposta em quase tempo real aos riscos com maior impacto, assim como a optimização de detecção e das acções “closed-loop” necessárias para corrigir, prevenir e recuperar as receitas e o desperdício de oportunidades”.

A parceria irá trazer à WeDo um “número de leads como nunca tivemos”, antecipa Rui Paiva.

Sem avançar valores de potencial negócio, Rui Paiva assinala que “quase todos os operadores do mundo são clientes da Ericsson”. Durante o MWC os colaboradores da WeDo reuniram-se com os vendedores da Ericsson com o objectivo de detalhar a solução para que a possam comercializar. A expectativa é que “nos vá trazer um número de ‘leads’ como nunca tivemos”. Afinal, a Ericsson, em conjunto com os seus parceiros executam mais de 1500 projetos por ano a nível global. Para a WeDo, durante o corrente ano os resultados da parceria não serão ainda relevantes, mas deverão surgir a partir de 2018.

O RAID, em conjunto com o Security Manager, “irá facultar aos operadores a capacidade de melhorarem a sua cobertura de Risk Management e de estabelecerem um fluxo de informação, decisão e ação em tempo real entre os sistemas de Revenue Assurance (Garantia de Receita), Fraud Management (Gestão de Fraude), Security (Segurança) e Identity Management (Gestão de Identidade)”, explica o comunicado conjunto.

Gestão de fraude na cloud

A WeDo Tecnhologies lançou também uma nova solução de gestão de fraude na cloud, o RAID Software Cloud. Este é, segundo Inez Corrêa de Sá, responsável de comunicação empresarial e relações públicas da WeDo Techonologies, a principal apresentação da empresa no Mobile World Congress, em Barcelona.

Segundo a responsável, o RAID cloud é a primeira solução do género a cloud o que está a “levantar curiosidade por parte de outras empresas que querem saber o que fazemos, como, e como é que estamos a chegar lá”, frisou Inez Corrêa de Sá. O “tempo real e a fraude” são temas que chamam muito a atenção”, acrescentou.

“Se as empresas tivessem as sedes em Portugal e pagassem lá os impostos era fantástico”

Rui Paiva assinalou que 90% do negócio da WeDo continua a ser proveniente de fora de Portugal. “Em Portugal existimos. Somos uma empresas portuguesa, pagamos impostos, temos empregados, somos espectaculares, mas vendemos para o mundo. Se todas as empresas tivessem as sedes em Portugal e pagassem lá os impostos era fantástico”.

A empresa tem escritórios em 12 países e empregados de 20 nacionalidades. Em Portugal, para além da sede, a WeDo tem uma fábrica de software em Braga a partir de onde sai software para todo o mundo, frisa o CEO.

Entre 10 e 12 de Maio a empresa promove o seu congresso de utilizadores. Estarão presentes  250 a 300 pessoas do mundo inteiro, de cinquenta nacionalidades. Nessa ocasião serão anunciados dois novos produtos.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado