EIA cria acelerador para estudantes em Portugal

A European Innovation Academy estabeleceu uma parceria de longo termo com entidades portuguesas. Em Julho começa um programa de aceleração com a participação das Universidades de Berkeley e Stanford.

Beta-iA European Innovation Academy (EIA) estabeleceu uma parceria com a Beta-i para a criação de um programa vocacionado para estudantes universitários.

No âmbito desta parceria, o programa de aceleração em inovação digital europeu EIA pretende “mudar o ‘mindset’ dos estudantes universitários e expandir os seus horizontes e competências”, explica a Beta-i em comunicado.

Está já marcado um programa de aceleração, com a duração de três semanas, que começa a 16 de Julho e se prolonga-se até 4 de Agosto, em Cascais. No acelerador os jovens empreendedores serão desafiados a imergir “num contexto multicultural de 400 participantes, oradores, mentores e investidores, oriundos de 63 nacionalidades diferentes”. Colaboram na iniciativa as Universidades de Berkeley e Stanford e a Google.

O programa foi “desenhado especificamente para estudantes universitários, é desenvolvido há vários anos em colaboração com três instituições de topo [já referidas] e pretende trazer também para a Europa o know-how das aceleradoras de Silicon Valley”, explica Ricardo Marvão, líder de projectos globais na Beta-i.

Nesta iniciativa o objectivo é criar uma centena de equipas compostas pelos melhores alunos de diversas nacionalidades e colocá-las a trabalhar num ecossistema internacional e diversificado constituído por formadores, mentores e grandes empresas e investidores.

As equipas vão desenvolver projectos de big data, equipamentos inteligentes, Internet das Coisas, impressão 3D, mobilidade e aplicações web para apresentar a potenciais investidores.

No final deverão ser criados 50 projectos de diferentes áreas, digitais nomeadamente equipamentos inteligentes, big data, Internet das Coisas, impressão 3D, mobilidade e aplicações web, que poderão ser apresentados aos investidores, que se deslocarão a Portugal para os conhecer.

Integram ainda este consórcio a Câmara Municipal de Cascais, a Universidade Nova de Lisboa e o Santander Totta No entanto, o  consórcio ainda está a crescer, avança a Beta-i, estando “eminente a confirmação de mais parceiros”. O programa, em vigor estabelecido até 2021, vai centrar-se no eixo Cascais-Lisboa.

 




Deixe um comentário

O seu email não será publicado