OutSystems acima dos 93 milhões de euros (actualizada)

As receitas de software da empresa cresceram perto de 50% em 2016 e a sua estrutura de recursos humanos aumentou 36% em Portugal.

paulo-rosado_ceo-da-outsystems_alto

Paulo Rosado, CEO da Outsystems

A Outsystems revelou ter registado o seu maior volume de negócios em 2016, ao chegar ao fim do exercício fiscal com uma facturação acima dos 93 milhões de euros. É possível concluir que um dos maiores factores de crescimento foi o aumento de 50%, nas receitas de software, embora a empresa não especifique quanto representam na actividade da mesma.

Em linha com esta evolução o efectivo de recursos humanos cresceu 36% em Portugal, atingindo no todo incluindo as operações internacionais, mais de 500 pessoas. Durante 2017 a organização prevê que a estrutura ultrapasse as 600 pessoas.

No global todo a empresa diz ter contratado mais de 200 profissionais para as áreas de vendas, marketing e gestão de parceiros.

“Só em Portugal, foram contratadas 129 pessoas, passando de 292 para 347 colaboradores”, diz um comunicado. Uma parceria global firmada com a Deloitte permitiu à Outsystems triplicar também o número de parceiros na Europa e Ásia.

O grupo engloba agora a Hewlett Packard, Incentro, Nin Tec, TESI, Dreamcloud, Perkasa e Rainmaker. Assim, mais de 40 mil novos programadores juntaram-se à comunidade do fornecedor de software, “acelerando a produtividade no desenvolvimento de aplicações ‘low-code’, ‘widgets’ e componentes”, diz um comunicado.

As empresas “estão sob uma pressão tremenda para desenvolverem as suas aplicações mais rapidamente e com menos recursos do que no passado”, assinala Paulo Rosado, CEO da Outsystems

“O crescimento registado em 2016 reflete a procura crescente por aplicações móveis, o reconhecimento crescente da indústria e a inovação de produto em que apostamos”, justifica Paulo Rosado, CEO da Outsystems.

As empresas “estão sob uma pressão tremenda para desenvolverem as suas aplicações mais rapidamente e com menos recursos do que no passado”, assinala. E a organização que lidera está a conseguir tirar partido dessas necessidades, comenta.

*Actualização: a informação sobre contratação de recursos humanos foi corrigida, no segundo e quarto parágrafo. Por lapso a que o Computerworld é alheio, referia-se que tinham sido contratados 55 colaboradores, quando o número foi de 129 (segundo parágrafo). Assim, houve um crescimento de 36% na estrutura e não de 19% (quarto parágrafo).




Deixe um comentário

O seu email não será publicado