9 erros nas redes sociais a evitar por PME

Vários especialistas fazem recomendações para corrigir erros dispendiosos, como o de comprar seguidores.

redes-sociais_tree-710658-100599848-orgNum país sobretudo de PME, perto de 60% das empresas portuguesas têm presença nas redes sociais, segundo a IDC Portugal. À escala mundial a percentagem é maior e embora a iniciativa seja benéfica, pode ter impacto negativo.

Há nove erros importantes que as pequenas empresas devem evitar:

– Configurar uma página e não publicar contéudos: “O maior erro de pequenas empresas nas redes sociais é criar uma página e depois não actualizá-la”, aponta Stacy Erickson Edwards, da Home Key: Organized Social Media. Isso envia uma mensagem a potenciais clientes de que os responsáveis estão a negligenciar a presença na plataforma, mas mais grave: sugere a falência da organização;

– Não ter uma estratégia/cronograma de publicação: na opinião de Vincent Scatena, CMO da IMP Corporation “o maior erro que qualquer empresa pode fazer nas redes sociais é ter um ritmo de publicação inconsistente”, diz. A propensão para potenciais seguidores se envolverem é menor. Uma solução simples é fazer agendamentos.

– Usar conteúdo gerado pelo utilizador sem a permissão do mesmo:“Re-publicar conteúdo gerado pelo utilizador é uma das maneiras mais influentes de criar envolvimento com ele ” nota Tom Kuhr, vice-presidente da MomentFeed. Mas convém pedir permissão, para evitar quebras de confiança e de reputação.

– Deixar de responder aos comentários em tempo útil: o envolvimento com seguidores e clientes é vital para perceberem que um empresa se preocupa com eles, reforça Ry Colman, da Veterans United Home Loans.

“Responda às suas perguntas, responda aos comentários (mesmo que seja apenas agradecendo-lhes por partilhar os seus pensamentos) e abordar as suas preocupações. Não exclua publicações negativas. Em vez disso, faça o possível para reconhecer o problema. Lembre-se que os clientes que expressam sua insatisfação são seus amigos [ou potenciais amigos]”, recomenda;

– Publicar apenas conteúdo de vendas e promoções: “Muitas empresas publicam conteúdo relacionado as vendas na maioria das vezes, mas a abordagem pode funcionar contra elas”, diz RJ Licata, coordenadora de marketing da Terakeet. Com efeito, “57,5% das pessoas são desmotivadas com material promocional nas redes”, aponta Rachael Samuels, da Sprout Social;

“Limite o conteúdo de vendas difíceis, a 10 a 30% do tempo, dependendo de quantas vezes se fizer publicações. O resto do tempo deve ser usado para informar, educar e construir relacionamento. E assim as vendas surgirão”, explica;

– Tratar de página de negócios como se fossem pessoais: “As redes sociais têm sido desde há muito considerada um lugar para comunicar opiniões”, diz Erin Green, da gestor de serviços de media da ReachLocal. “No entanto, para as empresas, este não é o meio ideal para veicular opiniões pessoais ou políticas”;

– Só afasta clientes e cria discussões e conflitos: a publicação de fotos de família e animais de estimação ou sua vida pessoal, nãoa faz sentido, a não ser que se relacionem directamente com o negócio (se vender roupas para crianças ou produtos para animais de estimação).

– Comprar seguidores especialmente falsos:“Algumas empresas decidem comprar seguidores, mas é um erro porque em última instância, diminui o valor do negócio e prejudica a autenticidade da presença de rede social”, diz Alexa Rees, especialista em marketing digital da Seoplus +.

“Um dos aspectos mais importantes, e muitas vezes esquecidos, das redes sociais é o envolvimento com os conteúdos publicados “, sublinha ressalta. “Mesmo que os seguidores comprados sejam pessoas reais, não têm nenhum interesse verdadeiro no negócio, e não vão se envolver com seus posts. As contas que se paga não vão comprar o que se está a vender”, confirma.

Portanto, mais vale poupar o dinheiro e concentrar-se na criação de uma agenda de publicação de conteúdos de interessantes.

– Usar demasiados hashtags ou irrelevantes: “utilizar hashtags demais nas redes sociais tem o mesmo efeito em pessoas como usar muitas palavras-chave nas estratégias de Search Engine Optimization”, diz Matt Gibbons, director de marketing digital, da inSegment. “Uma sobrecarga de hashtags fará um ‘post’ difícil de ler”

E apenas “use hashtags que são completamente relevantes para suas postagens e para o seu negócio”, acrescenta.

– Direccionar mensagens automaticamente para seguidores do Twitter: “Não se deve direccionar automaticamente mensagens para seguidores do Twitter”, diz Josh Hayes, gestor de redes sociais, na 18Birdies. “Parece que se está a fazer spam e é robótico”, diz. Constitui uma mensagem errada e lesa a autenticidade da marca.

A maioria dessas iniciativas não geram muitas respostas ou envolvimento.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado