Empresas devem pagar custo de fugas de dados

A Internet Society (ISOC) quer restaurar a confiança na Internet com um plano de cinco etapas, incluindo a responsabilização maior das organizações.

isoc-1Notícias falsas, roubos na banca online e violações de dados pessoais: não é de admirar que a confiança na Internet esteja em baixo. Mas a Internet Society (ISOC) tem um plano em cinco etapas para restaurar a fé na rede das redes, avançou o site CIO.pt.

O primeiro passo é colocar os utilizadores em primeiro lugar, de acordo com a ISOC, que publicou o seu Global Internet Report 2016 na última quinta-feira. Isso envolve ser mais transparente (passo dois) sobre o risco e a incidência de violações de dados e, no passo três, definir prioridades na segurança dos dados para assegurar que as violações desses dados não acontecem.

A ISOC é a entidade organizacional da Internet Engineering Task Force (IETF), fonte de muitos dos protocolos e normas de que a Internet depende. Isso dá peso às recomendações mais detalhadas sobre como prioritizar a segurança, contida no relatório da ISOC.

Na quarta etapa, segundo Michael Kende (economista, ISOC Fellow e autor do estudo), deve-se tornar as empresas responsáveis pelas violações de dados. Algumas empresas avaliam o que uma quebra lhes custaria (uma média de quatro milhões de dólares, de acordo com a ISOC), e investem em conformidade na prevenção, mas parte do problema é que não têm em conta externalidades como os custos afectados aos utilizadores e que estes terão de suportar, disse Kende.

 




Deixe um comentário

O seu email não será publicado