Oracle compra a Dyn para cloud computing

Os serviços de optimização de acesso à Internet do fornecedor, atacado recentemente, podem ajudar o fabricante disponibilizar plataformas híbridas de cloud computing.

dyn_cloud-computingA Oracle tenciona adquirir a Dyn, o fornecedor de serviços de DNS e optimização de acesso à Internet, num esforço para impulsionar as suas ofertas baseadas em cloud computing. O negócio é mais um passo para desafiar líderes na disponibilização de serviços de cloud computing como a Amazon e a Microsoft.

No mês passado, a Dyn ganhou maior visibilidade quando foi alvo de um ataque maciço de DDos. A empresa gere uma rede global que toma 40 mil milhões de decisões de optimização de tráfego por dia, servindo mais de 3 500 clientes empresariais, incluindo a Netflix e Twitter.

A Dyn monitoriza e optimiza aplicações na Internet e serviços em cloud computing com o objectivo de oferecer acesso mais rápido e tempos reduzidos de carregamento de páginas. A estrutura do fornecedor deverá oferecer à Oracle um balcão único para clientes empresariais interessados em serviços de infra-estrutura como serviço (IaaS) e plataformas como serviço (PaaS), informou a Oracle na última segunda-feira.

A Oracle investiu pesadamente na sua plataforma de nuvem e tem ambições de ser líder de mercado, mas a sua maior força está hoje no suporte em cloud computing às suas próprias aplicações, considera Paul Miller, analista sénior da Forrester. “A cloud da Oracle faz mais sentido para os clientes já com grandes investimentos no portefólio de ferramentas e aplicações do fabricante”, explica.

Muitos dos seus clientes, acrescenta, também têm um grande investimento nos seus próprios datacenters, e isso não é passível de mudar por vários anos. No modelo de serviço híbrido, a aquisição de Dyn faz sentido, considera o analista.

Os clientes devem manter as propostas da Oracle, avisa, conforme aumenta a concorrência geral à Amazon e à Microsoft.

Os serviços de optimização de rede da Dyn podem ajudar a Oracle a acelerar seu próprio tráfego de rede e ajudar a empresa e os seus clientes a “afinarem o fluxo de dados entre os centros de dados do fabricante e as próprias instalações de um cliente”. “Essas melhorias tornam o fluxo mais rápido e também economiza dinheiro”.

Os clientes devem manter as propostas da multinacional debaixo de olho, avisa, conforme aumenta a concorrência geral à Amazon e à Microsoft.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado