Sete ferramentas para uma cultura de DevOps

​Com a metodologia de desenvolvimento de projectos, as quezílias entre entre as equipas de programação e as de operações estão a diminuir. Mais ainda com a ajuda de certas aplicações.

DevOps_IDG.ESA produção de código nunca era rápida o suficiente, para os encarregados de manter os servidores a funcionarem, que se irritavam com o ritmo do trabalho, com processos e com requisitos. Desde o advento da metodologia DevOps, essas frentes de batalha têm sido pacificadas, muito graças a ferramentas que surgiram para preencher lacunas.

São soluções que oferecem serviços, para necessidades que vão desde as de gestão de configurações as de portabilidade de aplicações. Aqui estão algumas que dirigem a atenção para o tema dentro das organizações nos dias de hoje.

Atlas

Ferramenta introduzida pela HashiCorp oferece visibilidade sobre as infra-estruturas, incluindo servidores, “containers” e máquinas virtuais, adicionando também configurações de gestão e de serviços. Construída sobre projectos open source como o Vagrant, Packer, Serf, Consul e Terraform, o Atlas permite criar ambientes híbridos através de uma variedade de serviços cloud, como AWS, Google Compute Engine, Azure e OpenStack, além de provisionar um painel de controlo de desenvolvimento, entrega e manutenção de aplicações.

Chef

Trata-se de uma matriz para sistemas e infra-estruturas em cloud computing que automatizam a construção, entrega e gestão de infra-estruturas por meio de “scripts” curtos e repetíveis chamados “receitas” (“recipes”). O verdadeiro poder do Chef talvez sejam seus módulos de configurações de interligação (conhecidos como “cookbooks”). Existem aproximadamente dois mil dessas facilidades disponíveis na comunidade dedicada à ferramenta.

Docker

O Docker traz portabilidade a aplicações colocando-as em invólucros virtuais, nos quais os sistemas funcionam em unidades auto-encapsuladas que podem ser movidas através de diferentes plataformas. É composto pelo Docker Engine, que torna as aplicações encapsuladas mais leves em termos de processamento processamento e empacotamento das ferramentas. Mas também traz o Docker Hub, serviço em cloud para partilha de aplicações e automação de fluxo de trabalho.

Puppet

O Puppet Enterprise, da Puppet Labs, oferece orquestração de datacenters através da automatização, configuração e gestão de máquinas e software. Na sua versão 3.7, apresenta um recurso para aplicações móveis, direccionada para o desenvolvimento de apps de automação de tecnologia, incluindo soluções para gestão de um grande número de sistemas que mudam com frequência.

SaltStack

A ferramenta suporta a gestão da automação de partilha de dados, aprovisionamento de servidores, construção de ambientes de cloud e configuração de aplicações. Constitui uma ferramenta de automatização de infra-estrutura em cloud, orientada a eventos que pode mecanizar tarefas dentro dos fluxos numa abordagem que facilita a vida a programadores na produção de aplicações.

ScriptRock GuardRail

O GuardRail oferece configuração de monitorização com supervisão contínua dos estados das máquinas, podendo ajudar os utilizadores a garantirem a integridade dos seus ambientes de produção.

Splunk

Splunk é uma ferramenta para descobrir e resolver questões em tempo real através do ciclo de vida da aplicação, permitindo que os programadores visualizem dados em ambientes de produção, sem precisarem do acesso a máquinas em produção. A tecnologia permite que seus utilizadores abracem processos de DevOps, incluindo processos contínuos de integração e disponibilização de ferramentas.

*Com IDGNow.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado