Mais de 75% dos clientes preferem serviços digitais de bancos tradicionais

A preferência foi notada, em detrimento da oferta de novos intervenientes do sector, diz o estudo Global 1000, da CGI.

fintech_money-stock-100248981-origAs expectativas dos consumidores complementam a visão das directores bancários sobre a urgência de os bancos acelerarem a transformação digital, conclui o estudo da CGI, Global 1000.

O estudo baseou-se no inqúerito “Fintech Disruption in Financial Services”, de 2016, onde se analisa o valor atribuído pelos consumidores a uma gama abrangente de serviços bancários digitais, o conhecimento do mercado, os obstáculos para a compra e as suas preferências em fornecedores de serviços digitais. Mais de 75% dos inquiridos preferem adquirir novos serviços digitais à sua instituição financeira actual ou de outro fornecedor tradicional, em contratá-los a uma entidade não tradicional.

O trabalho abrangeu 1670 consumidores dos EUA, do Canadá, Reino Unido, França, Alemanha, Suécia, Singapura e Austrália e analisou 12 conceitos chave dos serviços das FinTech. Entre estes, a identidade digital e a protecção contra o fraude, a gestão financeira pessoal agregada, os pagamentos móveis ou a experiência digital personalizada, entre outros.

Do estudo resultaram as seguintes conclusões:

‒ 78% dos consumidores identificam a protecção digital como um serviço de grande valor, 83% afirma estar ao corrente do serviço e 52% que tem a intenção de o utilizar;

‒ 61% identifica a gestão financeira pessoal como um serviço de grande valor, 63% conhece-a e 37% manifesta ter intenção de a usar;

‒ 51% refere os pagamentos móveis como um serviço valioso, 94% está informado da sua existência e 53% tem a intenção de usar o serviço;

‒ A falta de confiança é o maior obstáculo para a compra através dos serviços digitais financeiros, após a complexidade de utilização e da aversão ao risco.


Tags


Deixe um comentário

O seu email não será publicado