Oracle promete concorrência mais “séria” à AWS

“A vantagem da Amazon acabou”, declarou Larry Ellison na conferência OpenWorld 2016, durante a qual o fabricante anunciou que prepara novas ofertas.

larry-ellison-openworld-2016-100683135-large970-idge

Larry Ellison, presidente executivo e CTO da Oracle.

O presidente executivo e o CTO da Oracle, Larry Ellison, tem nova mensagem para a Amazon Web Services: a Oracle vai tornar a vida da AWS mais custosa no mercado de cloud computing. “A vantagem da Amazon acabou”, declarou durante o seu discurso na conferência de OpenWorld, em San Francisco. “Vai ter uma concorrência séria daqui para frente”, acentuou.

Para o efeito, a empresa que co-fundou está a lançar um conjunto de novos datacenters de cloud computing para proporcionar instâncias de computação mais poderosas para ajudá-la a concorrer com a a AWS, Azure e outros fornecedores de cloud computing. A oferta de infra-estrutura como serviço (IaaS, sigla em inglês), anunciada por Ellison visa baixar o preço de hardware disponibilizado através de cloud computing.

Constitui uma tentativa de chamar para os serviços da Oracle, empresas interessadas em fazer a migração de aplicações para tirar proveito do desempenho e a um menor preço. Ellison exibiu um novo servidor “bare metal” Oracle Dense Cloud IO (para utilização exclusiva por um só cliente) com 36 núcleos de CPU, 512GB de D-RAM, e 28.8TB de armazenamento SSD. É mais potente do que uma das mais poderosas ofertas da Amazon, o i2.8xlarge.

Custará 5,40 dólares por hora, um preço mais baixo daquele praticado pela última. Deepak Patil, vice-presidente de desenvolvimento de produtos da Oracle, explica que este fornecedor consegue competir desta forma por três:
‒ a maneira diferente como a infra-estrutura está arquitectada;
‒ o acesso a hardware mais recente;
‒ e o facto de a plataforma de cloud estar assente em hardware Oracle.

O vice-presidente de desenvolvimento de software, Mark Cavage, avançou que a empresa planeia cobrar 7,5 cêntimo de dólar, por hora e núcleo de computação , em todas as suas ofertas de cloud.
A nova infra-estrutura será disponibilizada desde a região ocidental da cloud computing da Oracle, sedeada em Phoenix, no Arizona a partir de 13 de Outubro.

Até o final do ano, a empresa planeia ter uma segunda região com datacenters de segunda geração no Leste dos EUA. E espera ter infra-estrutura semelhante em Inglaterra e Alemanha até o final do ano fiscal, em Junho 2017.

Na mesma conferência, Larry Ellison apresentou a Oracle Database 12c Release 2, além de 20 novos serviços e aplicações cloud (em modelo PaaS e SaaS). As novidades incluem um novo Database-as-a-Service (DBaaS) e novas aplicações inteligentes que utilizam a funcionalidade de aprendizagem de máquina.

Fabricante mais precisar de taxas de crescimento maiores 

O director do programa de pesquisa da IDC, Al Hilwa, tem poucas dúvidas de que a Oracle será um forte interveniente no mercado de cloud computing. Mas o fornecedor terá de produzir maior crescimento nas operações, se quiser suplantar a AWS e mesmo a Microsoft.

 




Deixe um comentário

O seu email não será publicado