Empresas no topo da disrupção

Uma investigação realizada por Juniper Research acaba de revelar quem são os 25 inovadores tecnológicos mais disruptivos a nível global durante este ano.

James-Moar-Photo-place-holder_juniper_alto

James-Moar, analista da Juniper Research

A Juniper elaborou uma classificação com 25 empresas cujas ofertas têm a capacidade de transformar a maneira como interagimos com a tecnologia e com o mundo em geral. No entender da consultora são as mais disruptivas em 2016. A lista faz parte do “Top 25 Technology Innovators & Disruptors 2016” e uma nota da consultora revela as três empresas do topo da lista:

‒ Cybereason ‒ monitorização de ciberdelinquentes para futura prevenção:

A empresa israelita ocupa o primeiro lugar pela utilização de tecnologia de Big Data, análise de comportamento e aprendizagem automática para acompanhar de maneira imediata ciberataques complexos em tempo real, e os seus autores. O que distingue Cybereason de outras empresas é a sua capacidade para determinar a cronologia de um ataque, ao incluir naquele a informação que o atacante possa ter obtido.

É um aspecto crucial, uma vez que os hackers podem ficar imóveis durante semanas dentro de um sistema antes de agir. A solução desta organização permite realizar a monitorização pormenorizada da vulnerabilidade específica pela qual se produziu o ataque, e prevenir que se possa repetir no futuro.

‒ Klarna ‒ pagamentos adiados livres de atrito:

Klarna deseja que os consumidores tenham a experiência de pagamento com apenas um clique, sistema utilizado actualmente por empresas como eBay e a Amazon. Uma grande quantidade de empresas apresentam páginas de Internet para eCommerce ou mCommerce, nas quais os clientes abandonam as compras com frequência.

A proposta da Klarna não tem só por base, facilitar o processo de pagamento, mas também o de adiar este último. O consumidor faculta uma morada de correio electrónico e um código postal, para empresa avançar pagar ao retalhista. AE até 14 dias não ao cobra ao cliente (consumidor ). A oferta está a melhorar de maneira considerável as taxas de conversão.

‒ What3words ‒ endereços para tudo e todos

A startup de Londres ocupa o terceiro posto pela sua simples estratégia de permitir aos utilizadores fornecer dados de localização, sobre qualquer lugar do mundo com a introdução de um código constituído com apenas três palavras. Os benefícios, em termos de cidadania e comércio podem ser enormes.

A empresa assegura que fazendo usos do recurso, perto de quarto mil milhões de pessoas podem comunicar um crime, receber envios ou exercer muitos dos seus direitos legais pela primeira vez, por exemplo.

“Muitos dos aspectos mais emocionantes de muitas start-ups inovadoras não se relacionam tanto com as novas tecnologias”

“A tecnologia está a transformar-se numa parte que integra a vida de muitas pessoas em todo o mundo”, assinalou James Moar, co-autor do estudo. “Muitos dos aspectos mais emocionantes da tecnologia actual e muitas das inovadoras start-ups não estão tão relacionadas com as novas tecnologias, mas antes em como está a ser aplicada o grande potencial de cálculo e interligação disponível. Adaptar a tecnologia que existe na vida das pessoas a novos caminhos é o melhor tipo de inovação”.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado