PJ detém seis pessoas por roubo de dados pessoais (actualizado)

Os suspeitos são acusados de “recolha ilícita e comercialização de dados pessoais armazenados em bases de dados de empresas portuguesas”.

PJ - CMLisboaA Polícia Judiciária identificou e deteve três homens e três mulheres por fortes indícios da prática continuada de crimes de acesso indevido, violação do dever de sigilo e corrupção passiva no setor privado, diz uma nota no site da autoridade.

Segundo a mesma, os detidos dedicar-se-iam à “recolha ilícita e comercialização de dados pessoais armazenados em bases de dados de empresas portuguesas”, com elevado número de clientes e onde trabalhavam. Os suspeitos copiariam a informação pessoal de valor comercial usada para definição de perfis de utilização e venderiam à concorrência.

A PJ revela ter apreendido os meios informáticos e as listagens usadas para suporte à actividade criminosa, mas prossegue as suas investigações. Quer determinar ainda o modo de actuação e o alcance da operação.

As autoridades consideram que as pessoas detidas, com idades compreendidas entre os 32 e os 60 anos, faziam parte de duas redes criminosas, que actuavam nas zonas da Grande Lisboa e no Algarve.

Baseado em fonte policial, o Diário Notícias avançou que os suspeitos vendiam as listas com 200 ou 300 nomes ( e dados associados) por quantias entre os 500 e os 1500 euros.

*Actualizada com informação do último parágrafo.

 




Deixe um comentário

O seu email não será publicado