Google vai bloquear Flash no Chrome

O processo de transição deve ficar concluído no quarto trimestre mas as empresas terão uma política opcional.

Google _FlashA Google pretende tornar a tecnologia HTML5 como base da experiência com conteúdos no Chrome e passará a bloquear o uso do Flash, por omissão no browser. Haverá uma lista de dez sites para os quais abrirá uma excepção.

Para empresas interessadas em manter a executação com leitor da Adobe, haverá uma política opcional a respeitar. Segundo o plano revelado pela Google, denominado “HTML5 por norma,” o Chrome vai continuar a ser fornecido com o Flash Player da Adobe, mas a sua presença não será explicitada por norma.

Se um site oferece suporte a HTML5, essa será  a tecnologia usada prioritariamente. Para os sites que precisam de Flash, surgirá um lembrete no topo da página quando o utilizador visita o site pela primeira vez.

Esse lembrete dará aos utilizadores a opção de executar ou não os conteúdos em Flash. “Se o utilizador aceitar, o Chrome anuncia a presença do Flash Player e actualiza a página”, explica a empresa.

A lista com a qual o Chrome passará a ser lançado, incluirá sites classificados pelo uso agregado de um domínio específico.

Em Novembro, mesmo a Adobe Systems informou que vai oferecer ferramentas para o desenvolvimento de conteúdo em HTML5, enquanto mantém o suporte a conteúdo em Flash. A lista com a qual o Chrome passará a ser lançado, incluirá sites classificados pelo uso agregado de um domínio específico.

Nela deverão estar sites como o YouTube.com, Facebook.com, Amazon.com e Mail.ru. O grupo será actualizado periodicamente para remover sites cujo uso prescinde de tratamento especial.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado