CMU Portugal investe 5,2 milhões em seis projectos

No total, participam nesta edição das IEI, além da Carnegie Mellon University (CMU), mais de 40 instituições e empresas, com um volume de investimento de 1,4 milhões.

João Claro CMU Portugal_2

João Claro, director da CMU Portugal

De 24 candidaturas, o programa Carnegie Mellon Portugal (CMU Portugal) escolheu seis novas Iniciativas Empreendedoras de Investigação (Entrepreneurial Research Initiatives – ERI) que vão receber 5,2 milhões de euros de financiamento durante quatro anos. No total, participam nesta edição das IEI, além da Carnegie Mellon University (CMU), mais de 40 instituições e empresas, cuja relevância é salientada pelo responsável pelo programa, João Claro.

“Neste conjunto estão envolvidos parceiros institucionais de relevo e parceiros empresariais com uma forte presença no tecido económico a nível nacional e internacional, com um volume de co-financiamento previsto de 1,4 milhões de euros”, afirma.

Um comunicado destaca o envolvimento de empresas, como a Action Modulers, a BMD Software, a First Solutions, a Lusotechnip Engenharia, a Petrogal/GALP Energia, a Priberam, a SAPO Labs, a Steinbeis Advanced Risk Technologies, a Veniam e a Voice Interaction.

João Claro afirma que o objetivo é prosseguir a “aposta em projectos de investigação em que o desenvolvimento de conhecimento se integra estrategicamente com a criação de soluções para problemas concretos, com impacto social e económico”.

As iniciativas por ordem alfabética:

‒ “+Atlantic, Ciência e Tecnologia Política e Análise de Inovação para Maximizar os Benefícios Económicos, Ambientais e Sociais da Exploração do Mar Profundo e de Petróleo & Gás na Região do Atlântico Sul”, liderada pelos investigadores Ramiro Neves (IST-ID) e Michael Griffin (CMU);
‒ “BioVisualSpeech, Plataforma Interativa com Bio-feedback visual para Terapia da Fala”, liderada pelos investigadores Sofia Cavaco (FCT/UNL) e Maxine Eskenazi (CMU);
‒ “GoLocal, Da Monitorização de Fluxos de Dados Globais à Recomendação com Base em Contexto”,liderada pelos investigadores João Magalhães (FCT/UNL) e Jamie Callan (CMU);
‒ “S2MovingCity, Monitorizar e Servir uma Cidade em Movimento”, liderada pelos investigadores Susana Sargento (IT/U. Aveiro) e Manuela Veloso (CMU);
‒ “SCREEN-DR, Plataforma de Análise de Imagem e de Aprendizagem Computacional para a Inovação no Rastreio da Retinopatia Diabética”, liderada pelos investigadores Aurélio Campilho (INESC TEC / U. Porto) e Gustavo Rohde (CMU);
‒ “STRETCHTRONICS, Mecatrónica Flexível para Roupa e Biomedicina: Fabrico, Implementação e Aplicações”, liderada pelos investigadores Aníbal Traça de Almeida (ISR-Coimbra) e Carmel Majidi (CMU).

O painel de peritos de avaliação das ERIs foi coordenado por H. S. Jamadagni (Instituto Indiano de Ciência, na Índia) Com o segundo concurso de inicitivas promovido pelo Programa CMU Portugal, aumenta para 11,2 milhões o valor investido em investigação.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado