Bright Pixel explora vocação de incubadora

A nova aposta de Celso Martinho e da Sonae orientou a sua actividade para o “investimento em ideias e empreendedores” aproveitando uma equipa com múltiplas valências.

Celso Martinho_CEO Bright Pixel Com actividade aberta desde Outubro de 2015, a Bright Pixel (BRPX), posicionou-se esta quinta-feira, como o novo “Company Building Studio” em Portugal. Na realidade, explora a sua vocação para incubadora de ideia empresariais e de inovação, tendo como parceira predilecta a Sonae IM.

No entanto quer fazê-lo, procurando interligar recursos humanos talentosos com o meio académico, empreendedores, as startups e as empresas.

“A Bright Pixel é uma aposta orientada ao investimento em ideias e empreendedores e que para tal conta com uma infra-estrutura única que inclui especialistas em desenvolvimento de IT, designers criativos com mais de dez anos de experiência em tecnologia Web e mobile, ciber-segurança, big data, bem como em aplicações críticas de larga escala para media e tecnologia”, diz o comunicado  da empresa.

Nessa linha, assume como missão, atrair recursos humanos talentosos, promover um desenvolvimento com processos ágeis e testar inovações. “Num ambiente de partilha e de incentivo à criatividade”, acrescenta a nota.

A BRPX diz ainda querer desenvolver uma metodologia de “Labs” ou laboratório, com empresas, como a Nos e a Sonae, que necessitem de uma constante experimentação para desenvolver novas ideias, para produtos e serviços. “Até ao momento, o nosso foco era entrar em fases mais adiantadas no desenvolvimento das empresas.

Cláudia Azevedo, CEO da Sonae IM, revela que no âmbito da actividade desta empresa, tornou-se notória “a necessidade de estar nos primeiros passos do desenvolvimento de ideias que derivam em empresas e em negócios”. A oportunidade para isso e para fazer “algo diferente (…)em Portugal no capítulo do empreendedorismo” surgiu com a BRPX.

O CEO e fundador da BRPX, Celso Martinho, confessa que “é a materialização de um desejo antigo”, grato por se  associar à Sonae IM, “o melhor aliado” que a empresa podia ter, “juntamente com uma vasta rede de parcerias”.

Modelo de abordagem adoptado

Para acolhimento e desenvolvimento de iniciativas propostas a BRPX adopta um modelo com três fases:

‒ “Ideation”: fase de acolhimento de ideias, sem investimento da empresa self funded, após a qual é tomada a decisão de avançar ou não com o investimento para explorar cada oportunidade;

‒ “Incubation”: estapa de investimento “pre-seed”, na qual a BRPX investirá até cerca de 250 mil euros, de forma a incubar as ideias e convertê-las em protótipo e oportunidade de negócio na fase seguinte;

‒ “New Venture”: estádio de investimento “seed”, de criação da empresa, procura de talento e estratégia de lançamento, que prevê a abertura a novos investidores que ajudem a acelerar os planos de expansão.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado