Sysphera abre base em Portugal para chegar à EMEA

O fornecedor de soluções para gestão de desempenho é dirigido por Sérgio Aniceto na região e procura parceiros para abordar diversos sectores.

Sergio Aniceto Sysphera

Sergio Aniceto, director da Sysphera para a região EMEA

A Sysphera instalou a sua base de negócio em Portugal, como medida para entrar nos mercados da Europa, Médio Oriente e África (EMEA), com a operação da região a ser dirigida por Sérgio Aniceto.

“A escolha de Portugal deveu-se essencialmente por ser a porta natural para a região da EMEA”, diz o responsável. Segundo o mesmo, a empresa está bastante bem implantada no mercado da América Latina e América do Norte, com mais de 300 clientes activos, distribuídos pelas principais linhas de negócio.

”A empresa considerou que estava totalmente preparada para abraçar novas geografias, onde a EMEA era considerada a que apresentava maior potencial. Foi assim que eu e o Nuno Baião dos Santos fomos escolhidos para liderar este interessantíssimo desafio, assim como começarmos a lançar as bases para liderar a entrada da Sysphera na Asia”, explica.

As prioridades do fornecedor passam  por reforçar a carteira de parceiros de implantação de soluções, objectivo prestes a ser atingido segundo o responsável.  Os principais sectores de actuação da Sysphera incluem o da banca e seguros, Administração Pública, saúde, indústria, retalho e tecnologia.

Em muitos países, a solução do fornecedor está a ser promovida “através da força comercial” da Microsoft e da Microstrategy, diz Sérgio Aniceto (Sysphera).

“A estreita parceria que temos com a Microsoft e a Microstrategy irá ser seguramente um excelente ‘cartão de visita’ para termos acesso aos clientes destas duas grandes organizações e, assim, complementarmos a sua oferta com a nossa solução”, considera Sérgio Aniceto.

Em “bastantes países” a solução com o mesmo nome do fabricante está a ser promovida “através da força comercial” daqueles fabricantes. A empresa funda a sua oferta nas competências em soluções de planeamento e
controlo de processos financeiros, operacionais e regulatórios com base no conceito de Comprehensive Performance Management (CPM).

A sua proposta inclui ainda a entrega de um modelo completo do negócio do cliente, cobrindo todas as operações, permitindo monitorizar através de painéis de controlo e relatórios, e proporcionando um motor de fluxo de trabalho e parametrizado de acordo com a realidade de cada um.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado