IBM perdeu três executivos de topo

Mais do que a perda, a saída indicia o fim de uma fase e o potencial início de um projecto empresarial, fora da organização.

ibm-corporate-headquarters-1-2-100610081-orig-100618501-large970.idge

Os executivos entram e saem de qualquer grande organização, mas chamam a atenção quando a empresa é a IBM, as saídas referem-se a três executivos de topo, verificadas num só mês. Em Dezembro, a empresa perdeu Steve Mills, veterano com 43 anos na organização até agora vice-presidente executivo para software e sistemas, Danny Sabbah, o seu director de tecnologia para cloud computing  e Brendan Hannigan, director-geral da IBM Security.

As mudanças são simplesmente uma evolução natural ou sinal de algo maior em processo? “A IBM está a perdendo executivos valiosos e experientes com a saída de Mills e Sabbah”, considera Charles King, analista da Pund-IT.

Embora ambos tenham dado contributos inquestionáveis ​​para o sucesso da empresa, tinham passado a idade de reforma recomendada para altos executivos ‒ 60 anos ‒ pela organização, apontou. A saída da Hannigan parece ser simplesmente parte de uma estratégia, planeada há mais tempo.

O substituto de Hannigan, Marc van Zadelhoff, ingressou na IBM em 2006 através da aquisição da Consul Risk Management ‒ tem sido considerado uma estrela em ascensão na empresa, lembra King. “O facto de estar agora no cargo de director-geral [da operação de segurança] significa que a IBM tem um líder capaz de entender intimamente a empresa e o sector complex da segurança”.


Tags


Deixe um comentário

O seu email não será publicado