ISQ e Mafra no projecto europeu MOEEBIUS

A participação portuguesa é financiada pela Comissão Europeia com 450 mil euros e o projecto envolve a criação de uma plataforma informática de gestão de energia em edifícios.

Câmara Municipal de  Mafra

Paços do Concelho de Mafra

O Instituto de Soldadura e Qualidade (ISQ) e a Câmara Municipal de Mafra participam no consórcio do projecto Modeling Optimization of Energy Efficiency in Buildings for Urban Sustainability (MOEEBIUS). O orçamento total ronda os 7,3 milhões de euros, dos quais cerca de 450 mil euros vão ajudar a suportar a actividade das entidades portuguesas, diz um comunicado do instituto.

Um dos objectivos da iniciativa da União Europeia é criar uma plataforma informática de gestão de energia em edifícios.

O sistema deverá permitir identificar as complexidades operacionais dos edifícios, “tais como o impacto dos comportamentos dos utilizadores no consumo de energia, o desempenho e utilização dos equipamentos energéticos, entre outros”.

A implantação dos desenvolvimentos do projecto será testada em Portugal, Inglaterra e Sérvia. O estudo em território português será realizado em edifícios da Câmara Municipal de Mafra, num complexo escolar e no edifício dos Paços do Concelho.

A participação do ISQ estará focada no desenvolvimento de componentes técnicas para a plataforma, incluindo metodologias para a avaliação do desempenho energético e a melhoria da modelação da qualidade do ar interior.

Serão realizadas simulações prévias, que visam optimizar em tempo real o desempenho energético dos edifícios. O projecto procura que a comunidade e entidades locais, regionais e nacionais sejam envolvidos através da criação de uma comunidade de experimentação ou Living Lab.

A participação do ISQ estará focada no desenvolvimento de componentes técnicas para a plataforma. Isso inclui metodologias para a avaliação do desempenho energético, a melhoria da modelação da qualidade do ar interior, o desenvolvimento de novos modelos de negócio para a gestão de energia, e ainda dar suporte ao caso de estudo nacional.

“O potencial demonstrador do projecto é de todo relevante, pois será validada a sua adaptabilidade e versatilidade em diferentes tipologias de edifícios e com distintas condições climáticas”, diz a nota de imprensa.

Reduzir 35% o consumo energético

Num quadro mais geral, o MOEEBIUS visa desenvolver uma metodologia holística de optimização do desempenho energético para melhorar as estratégias de modelação da eficiência energética e disponibilizar ferramentas de simulação inovadoras.

As metas estabelecidas envolvem reduzir em 35% o consumo de energia dos edifícios e ainda manter a satisfação dos utilizadores num grau acima de 95%.

As actividades arrancaram no passado mês, em Bruxelas, e terão  uma duração de três anos e meio. O consórcio engloba 15 entidades europeias provenientes de 11 Estados Membros, liderados pela Fundación Tecnalia.

A iniciativa é financiada no âmbito no programa europeu de apoio à investigação e desenvolvimento, Horizonte 2020.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado